82 99641-3231

Ronaldo representa o Brasil na abertura da Copa do Mundo

A Copa do Mundo da Rússia está oficialmente aberta. A cerimônia foi realizada no Estádio de Lujniki, momentos antes da primeira partida do mundial, entre Rússia e Arábia Saudita, ter início.

O jogador Ronaldo representou o Brasil no evento. Ele chegou ao campo acompanhado de uma criança e o deixou com o cantor britânico Robbie Williams, que fez uma apresentação com direito até a gesto obsceno para as câmeras.

Enquanto Robbie Williams se apresentava, dançarinos executavam coreografias com bolas de futebol sobre o gramado do Lujniki, protegido por uma lona. Momentos depois, a soprano Aida Garifullina entrou cantando no estádio em cima do pássaro de fogo, símbolo de uma ópera do país.

Trinta e dois casais, representando os 32 países que disputarão a Copa do Mundo entraram em cena com as respectivas bandeiras e completaram a festa. Em seguida, Ronaldo voltou à cena junto à criança. Os dois brincam com o mascote Zabivaka e a bola Telstar 18, que foi à estação espacial russa. Assim, a cerimônia é encerrada.

Antes de a bola rolar no campo, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, fez um discurso exaltando a primeira copa no país e a preparação russa para receber o Mundial. O presidente da Fifa, Gianni Infantino, também falou e fez saudações em russo e em árabe.

 


Casal entra na Justiça para obrigar filho de 30 anos a sair de casa

Os pais de um homem de 30 anos tomaram medidas drásticas para que seu filho finalmente fosse morar sozinho: eles o processaram.

De acordo com a documentação judicial, Michael Rotondo não ajudava com os custos da casa nem com as tarefas domésticas, e ignorou as ofertas de ajuda financeira de seus pais para que fosse viver em outro local.

Christina e Mark Rotondo dizem que seu filho, que voltou a morar com eles há oito anos após ficar desempregado e hoje adminstra um site, se recusava a sair mesmo após receber da família cinco cartas de despejo desde o início de fevereiro.

Michael argumentava que não havia recebido aviso prévio suficiente, alegando que um período de seis meses seria um tempo mais razoável preparar para a mudança

O casal entrou, então, com a ação na Suprema Corte do Condado de Onondaga, próxima de Camillus, cidade onde mora a família, no Estado de Nova York. O advogado dos Rotondo, Anthony Adorante, disse ao site Syracuse.com que seus clientes não encontraram outra forma de obrigar o filho a se mudar.

‘Você precisa trabalhar’

“Após discutir o assunto com sua mãe, decidimos que você deve deixar essa casa imediatamente”, disse o casal na primeira carta de despejo enviada ao filho, em 2 de fevereiro, segundo os documentos do processo.

Quando Michael ignorou a mensagem, seus pais redigiram uma ordem de despejo propriamente dita, com a ajuda do advogado. “Você está sendo despejado por meio desta”, diz o documento assinado por Christina em 13 de fevereiro.

“Medidas legais serão tomadas imediatamente se você não se mudar até 15 de março de 2018.” Michael não saiu.

O casal escreveu, então, uma nova mensagem em 18 de fevereiro, oferecendo US$ 1,1 mil (cerca de R$ 4 mil) para que ele saísse. O texto incluía alguns comentários pessoais sobre o filho.

“Há empregos disponíveis para aqueles com um histórico profissional ruim como o seu. Consiga um – você precisa trabalhar”, disseram os pais.

‘Retaliação’

Em 5 de março, eles redigiram uma nova carta lembrando do prazo estipulado: “Não notamos nenhum sinal de que você está se preparando para sair. Saiba que tomaremos as medidas necessárias para garantir que você saia de casa como foi ordenado.”

No entanto, em 30 de março, mesmo que estivesse cada vez mais claro que Michael não tinha intenção de se mudar, eles tentaram por uma última vez, com uma carta em que mandavam que o filho removesse seu carro quebrado da entrada da casa.

Em abril, os Rotondo desistiram de tentar sozinhos e recorreram à Justiça local. Como Michael era seu parente, eles ouviram que teriam de recorrer à Suprema Corte para conseguir retirá-lo de casa.

De acordo com a emissora WABC News, Michael considerou a ação movida por seus pais como uma “retaliação” e pediu que a Corte rejeitasse seu pedido.

Nesta terça, o caso foi julgado, e o casal saiu vitorioso. O juiz ordenou que o filho saia de casa. Michael disse que a decisão é “revoltante” e entrará com recurso.


‘Deus te fez assim e te ama’, diz papa Francisco a jovem gay

CIDADE DO VATICANO – O chileno Juan Carlos Cruz, que sofreu abuso sexual de um padre pedófilo, afirmou que o papa Francisco disse a ele que Deus o fez gay, “o ama assim e a mim não importa”, segundo o jornal espanhol El País. Este seria um dos comentários mais progressistas já feitos pelo pontífice sobre homossexualidade.

 

De acordo com o relato feito à publicação, Cruz recentemente teve uma longa conversa em particular com o papa na qual falou sobre os abusos que sofreu e a falta de ação por parte dos bispos sobre as denúncias.

 

“Haviam dito a ele que eu era praticamente um pervertido. Expliquei que não sou a reencarnação de São Luis Gonzaga, mas também não sou uma pessoa má. Tento não fazer mal a ninguém. Ele então me disse ‘Juan Carlos, você ser gay não importa. Deus te fez assim, te ama assim e a mim não importa”, contou o chileno ao El País. Ele também afirmou que Francisco pediu perdão “em nome do papa e da Igreja” por tudo o que Cruz passou.

 

Os comentários de Francisco foram elogiados pela comunidade LGBT como mais um sinal de que o pontífice quer fazer com que os homossexuais se sintam bem-vindos e amados pela Igreja Católica. Questionado sobre os comentários do pontífice feitos a Cruz, o porta-voz do Vaticano, Greg Burke, disse à emissora CNN que “normalmente não comentamos as conversas particulares do papa”.

 

De acordo com o El País, Cruz foi vítima de abusos cometidos pelo padre Fernando Karadima. Um de seus discípulos era Juan Barros, quem Cruz acusa de estar presente durante os episódios de abuso.

 

Inicialmente, Francisco desprezou os relatos das vítimas e até mesmo de membros do seu conselho sobre abuso sexual. Em 2015, ele nomeou Barros como bispo do Chile. Outros bispos se opuseram à nomeação porque sabiam que o passado de Barros era problemático.

Ainda em 2015, Francisco recebeu uma carta de Cruz detalhando seus erros. Na ocasião, o papa enfureceu os chilenos ao dizer que as acusações contra Barros eram “calúnias” e que tinha certeza de sua inocência.

 

Na sexta-feira, todos os bispos chilenos puseram seus cargos à disposição do pontífice. Em declaração à imprensa, os 34 bispos convocados pelo papa para prestar conta sobre os escândalos de abuso sexual anunciaram que “todos” puseram suas “acusações nas mãos do Santo Padre para que livremente decida em relação a cada um”.

 

Entre os 34 bispos presentes na reunião estiveram vários dos acusados de terem acobertado durante décadas os abusos cometidos por Karadima, suspenso de forma vitalícia depois de ter sido declarado culpado em 2011 por abuso sexual de menores nos anos 1980 e 1990.

 

As demissões vieram após a divulgação dos detalhes de um relatório de 2,3 mil páginas produzido pelo Vaticano sobre os casos. Nas conclusões do papa sobre o documento, ele acusa os bispos de destruir provas dos crimes, pressionar os investigadores para minimizar as acusações de abuso e de cometer “graves negligências” na proteção das crianças contra padres pedófilos. / com AP


Mulher decepa pé do filho de 3 anos e, ao confessar crime à polícia, diz que estava ‘possuída pelo demônio’

Uma mulher de 32 anos é investigada pela polícia por ter decepado com um machado o pé direito do próprio filho, uma criança de três anos. O caso ocorreu em Tabocas do Brejo Velho, no oeste da Bahia na quarta-feira (16).

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Davidson Ribeiro, ao ser ouvida, nesta quinta-feira (17), Ediene de Almeida Branco confessou o crime e disse que estava ‘possuída pelo demônio’.

“Ela disse que ouvia uma voz dizendo para ela fazer logo, mas não especificava o quê”, contou o delegado sobre o depoimento da investigada.

A mulher não foi presa, mas um investigador foi até a casa dela, na tarde desta quinta-feira, para colher dados para a investigação. A polícia instaurou um inquérito e vai ouvir testemunhas como familiares e vizinhos de Ediene.

A polícia disse, ainda, que precisa analisar se o crime tem alguma relação com a ordem psíquica da suspeita.

O caso chegou à polícia através do Conselho Tutelar. Após cortar o pé do filho, a mulher pediu socorro a um vizinho. A criança foi levada para o Hospital do Oeste, que fica em Barreiras, cidade a cerca de 110 km de Tabocas do Brejo Velho.

“Os médicos do hospital [do oeste] acharam estranho o corte no pé da criança, acionaram o Conselho Tutelar e, em seguida, ficamos cientes. Intimamos ela a comparecer aqui na delegacia, ela veio espontaneamente e confessou”, explicou o delegado.

O Conselho Tutelar preferiu não comentar o caso por estar sob investigação, mas confirmou que a criança já recebeu alta, mas não está com a mãe. Ela foi acolhida em um abrigo de Barreiras, onde vai permanecer por tempo indeterminado.


Marielle foi morta por submetralhadora, e não pistola, mostra reportagem da Record

RIO – A vereadora Marielle Franco (PSOL) não foi morta por balas disparadas de uma pistola, e sim por uma submetralhadora usada no Rio apenas por forças policiais especiais, informou neste domingo, 6, o programa “Domingo Espetacular”, da TV Record. Marielle foi assassinada em seu carro, assim como seu motorista, Anderson Gomes, no dia 14 de março.

O caso é investigado pela Delegacia de Homicídios e existe a suspeita de que o crime foi ordenado por milicianos.Segundo a reportagem, a submetralhadora HK MP5 que matou os dois é utilizada por forças de elite da polícia do Rio, e tem alta precisão. Esta arma, assim como a pistola que se acreditava ser a arma do crime, têm calibres de nove milímetros. Mas as submetralhadoras, ao contrário das pistolas, não são facilmente apreendidas com criminosos no Estado. A perícia inicial da polícia teria falhado ao não identificar corretamente em laboratório as “impressões digitais” do armamento deixadas nos projéteis deflagrados.

Outro erro, de acordo com a reportagem, foi o abandono do carro de Marielle no pátio da delegacia sem que houvesse com ele um cuidado especial, e também o fato de os corpos da vereadora e do motorista não terem passado por exame de raio x que identificasse a trajetória das balas. O exame não teria sido feito porque o Estado estaria sem um equipamento de raio x disponível. A reportagem contactou a área de segurança do Estado, mas não obteve respostas sobre as novas informações.
O caso está sendo tratado como prioritário pela Secretaria de Segurança Pública do Rio, pelo fato de o crime ser considerado político. Nenhuma informação sobre as investigações é divulgada oficialmente pela secretaria ou pelo Gabinete de Intervenção Federal, que coordena a segurança no Estado desde fevereiro.

A execução ocorreu na região do Estácio, área central da capital. Marielle foi atingida por quatro tiros no rosto. Gomes morreu porque estava na linha de tiro. Desde o início da apuração, ficou claro que os disparos foram feitos por uma pessoa que sabia manejar com destreza o armamento, já que os tiros foram dados a partir de um carro em movimento, à noite e contra um automóvel cujos vidros eram escurecidos.
A polícia não tem imagens do momento da execução, porque cinco câmeras da prefeitura voltadas para o exato ponto do crime haviam sido previamente desligadas. Esta semana, será feita uma reconstituição do crime. Marielle pautava seu mandato pela defesa de minorias e moradores de favelas, e uma das hipóteses é a de que os mandantes queriam silenciar suas ações neste sentido.


Barata é retirada de ouvido após ficar dez dias presa no local

A americana Katie Holley, de 29 anos, acordou muito assustada depois de sentir algo dentro de sua orelha. De acordo com o portal britânico Daily Mail , a sensação era de que havia um gelo em seu ouvido, porém, ao acordar o marido para que ele pudesse averiguar a situação, Holley descobriu uma barata dentro de si.

Seu companheiro tentou retirar o inseto do ouvido da esposa, porém, ele só foi capaz de remover algumas das patas da barata . Muito preocupada com o caso, ela procurou ajuda no pronto socorro mais próximo enquanto ainda sentia o animal se contorcer dentro do canal auditivo.

Os médicos atenderam a mulher e acreditaram que tinham retirado todas as partes do inseto de dentro do ouvido. Até que, nove dias depois, Holley ainda sentia dores na região e passou a gradativamente perder sua capacidade de audição. Muito intrigada, ela retornou ao centro médico e foi informada de que ainda havia partes da carcaça do animal em seu corpo.

O procedimento para a retirada total do inseto aconteceu em duas etapas. Um médico geral retirou outras seis partes do inseto e, mais tarde, um otorrinolaringologista examinou a mulher, descobrindo a cabeça, a parte superior do tronco, antenas e algumas patas do animal.

“Cera de ouvido deve ser saborosa para baratas”

A mulher contou à imprensa local que, conversando com o último médico, descobriu que a remoção de insetos presos em ouvidos humanos é algo muito comum. “Eu fui a segunda pessoa naquele dia que precisou do procedimento”, detalhou.

Para o professor especialista em insetos Coby Schal, da Universidade do Estado da Carolina do Norte, um dos motivos que leva os animais da espécie até as orelhas pode ser a cera. “Baratas estão sempre buscando por comida em todos os lugares. E cera de ouvido deve ser saborosa para elas”, contou ao National Geographic .

“Sentir uma barata tendo espasmos de morte, alojada em uma parte sensível do seu corpo, é diferente de qualquer outra coisa que eu poderia explicar de forma adequada”, concluiu Holley em entrevista ao SELF .


Rua José e Maria Passos, nº 25 - Centro - Palmeira dos Índios - AL.

Redes sociais


Facebook

Whatsapp: 82 99641-3231

Fale conosco


82 99641-3231

© 2018 Rádio Sampaio - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Interactive MOnkey