82 99641-3231

Eleitor que não votou tem 60 dias para justificar ausência

O eleitor que não pôde votar no primeiro turno das eleições e não conseguiu justificar a ausência ainda pode preencher o formulário de justificativa eleitoral pela internet ou entregá-lo pessoalmente em qualquer cartório eleitoral.

Há também a possibilidade de enviar o formulário pelo correio para o juiz eleitoral da zona eleitoral. O prazo para justificar é de até 60 dias após cada turno da votação.

Além do formulário, o eleitor deve anexar documentos que comprovem o motivo que o impediu de comparecer no dia do pleito.

Pela internet, o eleitor pode justificar a ausência utilizando o “Sistema Justifica” nas páginas do TSE ou dos tribunais regionais. No formulário online, o eleitor deve informar seus dados pessoais, declarar o motivo da ausência e anexar comprovante do impedimento para votar.

O requerimento de justificativa gerará um código de protocolo que permite ao eleitor acompanhar o processo até a decisão do juiz eleitoral. A justificativa aceita será registrada no histórico do eleitor junto ao Cadastro Eleitoral.

Quem não votou no primeiro turno e nem justificou não fica impedido de votar no segundo turno, dia 28 de outubro.

Eleitores no exterior

No caso dos brasileiros que estavam no exterior no dia da votação, eles também deverão encaminhar o formulário de justificativa pós-eleição e a documentação comprobatória até 60 dias após o turno ou em 30 dias contados a partir da data de retorno ao Brasil.

Se estiver inscrito em zona eleitoral do exterior, o eleitor deverá encaminhar o requerimento diretamente ao juiz competente ou ainda entregar nas missões diplomáticas e repartições consulares localizadas no país ou enviar pelo sistema justifica.

Consequências

O Tribunal Superior Eleitoral explica que a não regularização da situação com a Justiça Eleitoral pode resultar em sanções, como impedimento para obter passaporte ou carteira de identidade para receber vencimentos, remuneração, salário ou proventos de função ou emprego público.

A não justificativa também pode impedir que o eleitor participe de concorrência ou administrativa da União, dos estados, Distrito Federal e municípios, além de ficar impedido de se inscrever em concurso público ou tomar posse em cargo e função pública.


Nobel da Paz 2018 vai para ativistas que lutam contra violência sexual

A ex-escrava sexual do Estado Islâmico Nadia Murad e o médico Denis Mukwege ganharam o Prêmio Nobel da Paz 2018 por seus esforços para acabar com o uso da violência sexual como arma de guerra e conflito armado. O anúncio dos vencedores foi feito na manhã desta sexta-feira (5), em Oslo, na Noruega.

O ginecologista Denis Mukwege, de 63 anos, passou grande parte de sua vida adulta ajudando as vítimas de violência sexual na República Democrática do Congo, na África, e lutando por seus direitos. Ele e sua equipe trataram cerca de 30 mil vítimas desses ataques, desenvolvendo grande experiência no tratamento de lesões sexuais graves.

Nobel da Paz vai para ativistas que lutam contra a violência sexual

Conhecido como “doutor milagre”, ele é um crítico feroz do abuso de mulheres durante guerras e descreveu o estupro como uma “arma de destruição em massa”.

Nadia Murad, de 25 anos, se tornou uma ativista dos direitos humanos yazidis após sobreviver a três meses de escravidão sexual imposta por integrantes do Estado Islâmico no Iraque.

Após escapar dos terroristas, em 2014, ela liderou uma campanha para impedir o tráfico de seres humanos e libertar o grupo étnico-religioso yazidis, que é composto por cerca de 400 mil pessoas. As crenças desse grupo misturam componentes de várias religiões antigas do Oriente Médio.

Ginecologista congolês Denis Mukwege, em imagem de arquivo de 24 de outubro de 2016 — Foto: Joel Saget / AFP

Estima-se que 3 mil garotas e mulheres yazidis foram vítimas de estupro e outros abusos por parte dos extremistas no Iraque. A violência sexual foi sistemática e fazia parte de uma estratégia militar empregada pelos terroristas contra minorias religiosas.

Mulheres usadas como armas de guerra

A presidente do comitê norueguês do Nobel, Berit Reiss-Andersen, afirmou que edição deste ano do Nobel pretende enviar a mensagem de que “as mulheres, que constituem a metade da população, são usadas como armas de guerra e precisam de proteção; e que os responsáveis devem ser responsabilizados e processados por suas ações”.

O comitê recebeu neste ano a nomeação de 216 indivíduos e 115 organizações. Somente algumas dezenas deles são conhecidos. O comitê mantém a lista em segredo há 50 anos.

O prêmio é de 9 milhões de coroas suecas (cerca de 1 milhão de dólares) e será entregue numa cerimônia em Oslo em 10 de dezembro. Criada pelo industrial sueco Alfred Nobel, o inventor da dinamite, a premiação foi concedida pela primeira vez em 1901.

Veja os vencendores de 2018

Química: Frances H. Arnold, George P. Smith e Sir Gregory P. Winterforam premiados por desenvolverem técnicas que permitem a fabricação de combustíveis verdes e de anticorpos mais eficientes.

Física: Arthur Ashkin, Gérard Mourou e Donna Strickland foram os ganhadores por descobertas sobre laser. O prêmio de Física foi pela primeira vez em 55 anos entregue a uma mulher.

Medicina: James P. Allison e Tasuku Honjo foram premiados por uma pesquisa sobre imunoterapia contra o câncer.

O ganhador na categoria Economia será conhecido na segunda-feira (8). O prêmio em Literatura foi adiado para 2019 depois de uma acusação contra o marido de uma de suas integrantes. Ele foi condenado esse ano por cometer abusos sexuais e vazar o nome de vários ganhadores do prestigiado prêmio.

Últimos ganhadores do Nobel da Paz

2017: A Campanha Internacional para a Abolição das Armas Nucleares (Ican, sua sigla em inglês) foi premiada por chamar a atenção para as consequências catastróficas do uso de armas nucleares e pelos seus esforços inovadores para conseguir a proibição do uso dessas armas.

2016: Juan Manuel Santos, então presidente da Colômbia, conquistou o prêmio pelo esforço de pacificação do país. Naquele ano, o governo conseguiu fechar um acordo de paz com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) após uma guerra civil que já durava mais de 50 anos.

Juan Manuel Santos, ex-presidente da Colômbia, em imagem de arquivo — Foto: AP Photo/Ronald Zak

2015: Quarteto de Diálogo Nacional da Tunísia ganhou o prêmio por sua decisiva contribuição para a construção de uma democracia pluralista no país durante a revolução de 2011.

2014: os vencedores foram o indiano Kailash Satyarthi e a paquistanesa Malala Yousafzay, “pela sua luta contra a supressão das crianças e jovens e pelo direito de todos à educação”. A estudante do Paquistão se tornou a mais jovem ganhadora do prêmio.

2013: Organização para a Proibição das Armas Químicas, entidade que supervisiona destruição do arsenal químico na Síria em guerra.

Malala Yousafza durante visita a Salvador, em imagem de arquivo — Foto: Egi Santana/G1

2012: União Europeia ganhou por ter contribuído para pacificar um continente devastado por duas guerras mundiais.

2011: Ellen Johnson Sirleaf, Leymah Gbowee (Libéria) e Tawakkol Karman (Iêmen) ganharam por sua luta não violenta em favor da segurança das mulheres e seus direitos a participar dos processos de paz.

2010: Chinês Liu Xiaobo (China), dissidente detido, “por seus esforços duradouros e não violentos em favor dos Direitos Humanos na China”.

2009: O então presidente americano Barack Obama foi premiado “por seus esforços extraordinários com o objetivo de reforçar a diplomacia internacional e a cooperação entre os povos”.

Barack Obama, em imagem de arquivo — Foto: AFP

2008: Martti Ahtisaari (Finlândia) foi premiado por suas numerosas mediações de paz em todo o mundo.

2007: Al Gore (EUA) e o Painel Intergovernamental sobre as Mudanças Climáticas (IPCC) da ONU ganharam o prêmio por seus esforços para aumentar o conhecimento sobre as mudanças climáticas.

2006: O prêmio foi para Muhammad Yunus (Bangladesh) e seu banco especializado no microcrédito, o Grameen Bank, porque “uma paz duradoura não pode ser obtida sem que uma parte importante da população encontre a maneira de sair da pobreza”.


Golpe que rouba dados bancários atinge milhares de roteadores no Brasil

Um sofisticado sistema de sequestro de DNS para roubo de dados, o GhostDNS, já atingiu mais de 100 mil roteadores, sendo que 87% deles estão no Brasil. Segundo a Netlab – empresa especializada em segurança da informação – o malware foi detectado em mais de 70 modelos.

Como explica o ‘TechTudo’, o ataque tem o objetivo de descobrir credenciais de sites como os de bancos e grandes provedores. O estudo da Netlab at 360, que descobriu o golpe, revelou que URLs brasileiras da Netflix, Santander e Citibank foram algumas das vítimas do GhostDNS.

Como funciona

O golpe, conhecido como DNSchange, tenta adivinhar a senha do roteador na página de configuração web usando identificações definidas por padrão pelas fabricantes, como admin/admin, root/root, entre outros; ou explorando o dnscfg.cgi, sem passar pela autenticação.

Após acessar as configurações do roteador, o malware altera o endereço DNS padrão para IPs de sites mal-intencionados.

Riscos

Com o sequestro do DNS, mesmo se o usuário digitar a URL correta do banco no navegador, pode ocorrer o direcionamento para o IP de um site malicioso. Assim, senhas de banco, serviços de armazenamento na nuvem e outras credenciais podem ser capturadas por hackers.

Roteadores afetados

O Netlab at 360 encontrou pouco mais de 100 mil endereços IP de roteadores infectados de 21 a 27 de setembro. Do total, 87,8% (cerca de 87.800) estão no Brasil. No entanto, devido a variações dos endereços, o número pode ser diferente.

Os roteadores afetados foram infectados por diferentes módulos DNSChanger. No Shell DNSChanger, os modelos identificados foram:

3COM OCR-812

AP-ROUTER

D-LINK

D-LINK DSL-2640T

D-LINK DSL-2740R

D-LINK DSL-500

D-LINK DSL-500G/DSL-502G

Huawei SmartAX MT880a

Intelbras WRN240-1

Kaiomy Router

MikroTiK Routers

OIWTECH OIW-2415CPE

Ralink Routers

SpeedStream

SpeedTouch

Tenda

TP-LINK TD-W8901G/TD-W8961ND/TD-8816

TP-LINK TD-W8960N

TP-LINK TL-WR740N

TRIZ TZ5500E/VIKING

VIKING/DSLINK 200 U/E

Roteadores afetados pelo Js DNSChanger:

A-Link WL54AP3 / WL54AP2

D-Link DIR-905L

Roteador GWR-120

Secutech RiS Firmware

SMARTGATE

TP-Link TL-WR841N / TL-WR841ND

Roteadores afetados pelo PyPhp DNSChanger:

AirRouter AirOS

Antena PQWS2401

C3-TECH Router

Cisco Router

D-Link DIR-600

D-Link DIR-610

D-Link DIR-615

D-Link DIR-905L

D-Link ShareCenter

Elsys CPE-2n

Fiberhome

Fiberhome AN5506-02-B

Fiberlink 101

GPON ONU

Greatek

GWR 120

Huawei

Intelbras WRN 150

Intelbras WRN 240

Intelbras WRN 300

LINKONE

MikroTik

Multilaser

OIWTECH

PFTP-WR300

QBR-1041 WU

Roteador PNRT150M

Roteador Wireless N 300Mbps

Roteador WRN150

Roteador WRN342

Sapido RB-1830

TECHNIC LAN WAR-54GS

Tenda Wireless-N Broadband Router

Thomson

TP-Link Archer C7

TP-Link TL-WR1043ND

TP-Link TL-WR720N

TP-Link TL-WR740N

TP-Link TL-WR749N

TP-Link TL-WR840N

TP-Link TL-WR841N

TP-Link TL-WR845N

TP-Link TL-WR849N

TP-Link TL-WR941ND

Wive-NG routers firmware

ZXHN H208N

Zyxel VMG3312

Como se proteger

Para se proteger, o usuário deve mudar a senha do roteador, atualizar o firmware e verificar nas configurações se o DNS foi alterado.


Após ser preso por estuprar filha de 13 anos homem deixa cadeia e mata a menina

A Polícia Civil procura por um homem de 28 anos suspeito de matar a filha de 13 anos a facadas, na madrugada desta quarta-feira (3), no bairro Mailasque, em São Roque (SP). Horácio Nazareno Lucas já havia sido preso anteriormente por estuprar a menina e a cunhada.

De acordo com a polícia, uma viatura da PM foi acionada para atender a uma ocorrência de violência doméstica, porém, quando a equipe estava à caminho do bairro, foi surpreendida por um menino de 6 anos pedindo socorro e informando que o pai havia matado a irmã.

Os policiais militares foram até a casa indicada pelo garoto e, chegando lá, Letícia Tanzi Lucas, de 13 anos, estava inconsciente e ferida na sala da residência. A estudante foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e levada à Santa Casa, mas não resistiu aos ferimentos.

A ex-mulher do suspeito informou aos policiais que ele havia saído da prisão na terça-feira (2), um dia antes do crime. Ela afirmou em depoimento que o homem era acusado de estuprar a filha e abusar sexualmente da irmã dela.

Segundo o boletim de ocorrência registrado na delegacia, o homem teria ido à casa da ex-mulher para pedir que ela retirasse a denúncia de estupro contra ele. Durante a conversa, o homem teria ficado nervoso ao perceber que a ex-companheira estava com o celular pronta para chamar a polícia. Ele a agrediu com socos e tentou esganá-la.

A mulher conseguiu fugir para a casa de uma vizinha enquanto chamava a polícia. Enquanto isso, o homem ficou sozinho na casa com as duas crianças. De acordo com o B.O., ele trancou o menino de 6 anos no quarto e assassinou a estudante.

Assim que o garoto ouviu os barulhos, conseguiu fugir, encontrou a viatura dos policiais e pediu ajuda.

A mãe precisou ser medicada e vai passar por exames no Instituto Médico Legal (IML) por conta das agressões. O corpo da estudante segue na Santa Casa de São Roque e será enterrado no Cemitério da Paz.


Menina de 10 anos leva mais de 30 pontos na cabeça após ser atacada por pit bull

Uma menina de 10 anos está internada no Hospital Regional, após ter sido atacada por um cão da raça pit bull, em Vilhena (RO), na região do Cone Sul. O incidente aconteceu no domingo (23), no Bairro Bodanese. Ela sofreu ferimentos pelo corpo, mas principalmente na cabeça, onde recebeu mais de 30 pontos. O estado de saúde da criança é estável, mas ainda não há previsão de alta.

Familiares contaram ao G1 que a menina foi dormir na residência da irmã, de 15 anos. A adolescente mora com outra família e na casa há um pit bull. A criança não conhecia o animal e entrou no quintal acompanhada da irmã.

“Eu cheguei e o cachorro foi me cheirar. Eu pensei que era normal, mas na metade do quintal, ele me atacou pelas costas; pegou meu cabelo e me jogou no chão, e depois não me lembro de mais nada. Só lembro quando o vizinho tirou ele de cima de mim e eu sentei numa cadeira”, conta a vítima Rafaely de Oliveira Araújo.

Vizinhos ouviram os gritos e conseguiram afastar o cachorro da menina. De acordo com o Corpo de Bombeiros, os militares encontraram a criança sentada em uma cadeira, na frente da residência, rodeada por populares. Ela apresentava sangramento intenso na cabeça e diversas marcas de mordidas pelo corpo.

A criança foi levada consciente para o Hospital Regional. “Eu cheguei ao hospital e encontrei ela toda ensanguentada. Estavam cortando o cabelinho dela para costurar os cortes. Foi Deus que livrou minha filha”, diz a dona de casa, Valdirene Moura de Oliveira, mãe de Rafaely.

“Fiquei bastante triste quando cortaram meu cabelo, mas ele vai crescer de novo. Quero ir logo para casa”, diz a menina de olhos claros, com um sorriso.

Valdirene acompanha a filha e faz um alerta para as pessoas. “Se chegar em uma casa onde tem cachorro, grande ou pequeno, seja qual for a raça, tem que esperar do lado de fora até prender o cachorro, para poder entrar. Minha filha maior não agiu assim, porque já conhecia o cachorro, mas foi um erro. É preciso ter cuidado”, enfatiza.

G1 foi até o endereço onde aconteceu o ataque e encontrou duas adolescentes de 15 anos, uma delas a irmã de Rafaely. A mãe da outra jovem estava no trabalho. Elas contaram que o cachorro tem dois anos e nunca havia mordido ninguém.

Corpo de Bombeiros

De acordo com o Corpo de Bombeiros de Vilhena, em 2017, a corporação foi chamada para atender dois ataques de cães. Nesse ano, foram oito atendimentos até agora. O tenente Jonas Ferreira explica que os cães, em sua maioria, são territorialistas.

“No caso desse incidente, a criança não morava na residência; era uma pessoa estranha ao habitat do animal, que quis defender o território dele”, ressalta.

O tenente adverte que, em casos de ataque, a vítima não deve reagir. “Se não conseguir dominar o animal, tente ficar o mais parado possível e não olhe diretamente para o animal. Qualquer movimento que faça, o animal vai está entendendo que você está agredindo ele. O recomendado é deitar no chão, em posição fetal e tentar proteger o rosto e o pescoço”, salienta.

Fonte: G1

Anatel inicia notificação de celular irregular para bloqueio

A  Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) inicia neste domingo (23) a notificação de portadores de aparelhos de telefone celular irregulares em 10 estados. São considerados irregulares os aparelhos adulterados, roubados, extraviados e não certificados pela Anatel.

Segundo a agência, a medida atinge os usuários de celulares de estados das regiões Centro-Oeste, Sul, Norte e Sudeste.

Nos estados do Acre, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Rondônia, Tocantins, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul, quem estiver utilizando aparelhos irregulares vai começar a receber a partir de hoje mensagens alertando sobre o problema. Nesses estados, a medida vale para aparelhos irregulares habilitados a partir de 23 de setembro de 2018.

Mensagem

Os aparelhos irregulares receberão a partir de hoje a seguinte mensagem, enviada pelo número 2828: “Operadora avisa: Pela Lei 9.472 este celular está irregular e não funcionará nas redes celulares em XX dias. Acesse www.anatel.gov.br/celularlegal ou ligue *XXXX”

O bloqueio dos aparelhos será feito a partir de 8 de dezembro de 2018. A última mensagem, na véspera do bloqueio, apresentará o seguinte conteúdo: “Operadora avia: Este celular IMEI XXXXX é irregular e deixará de funcionar nas redes celulares. Acesse www.anatel.gov.br/celularlegal ou ligue *XXXX”

Certificado

De acordo com a legislação, todo aparelho celular em uso no país deve ser certificado ou ter sua certificação aceita pela Anatel. “Aparelhos celulares certificados passaram por uma série de testes antes de chegarem às mãos do consumidor. O usuário deve sempre procurar o selo da Anatel no verso da bateria do celular e também no carregador”, informou a assessoria.

Com o bloqueio, a Anatel pretende coibir o uso de telefones móveis não certificados, com IMEI adulterado, clonado ou outras formas de fraude. Segundo a Anatel, os usuários que já têm aparelhos móveis irregulares habilitados não serão desconectados, caso não alterem o número.

IMEI (do inglês International Mobile Equipment Identity) é o número de identificação do celular. O IMEI DB, como é chamado, é acessado por fabricantes, operadoras e agências reguladoras de todo o mundo, razão pela qual aparelhos que são certificados em qualquer país têm o IMEI inserido lá.

Número

Para saber se o número de IMEI é legal, basta discar *#06#. Se a numeração coincidir com o que aparece na caixa, o aparelho é regular. Caso contrário, há uma grande chance de o aparelho ser irregular.

A agência disse que uma parceria entre prestadoras, fabricantes e a Anatel serviu para a implantação de um sistema informatizado que identifica os celulares irregulares em uso na rede.

Chamado de “Celular Legal”, o projeto de bloqueio foi divido em três fases. A fase piloto (1ª fase) começou com o envio e mensagens em 22 de fevereiro de 2018 para os usuários do estado de Goiás e do Distrito Federal, e o bloqueio começou a realizado a partir do dia 09 de maio.

“Até julho deste ano, foram bloqueados por irregularidades 41.827 acessos de telefonia e internet móvel em Goiás e no Distrito Federal, o que representou 0,3% do total de 12.587.694 de acessos em funcionamento, sendo 5.308.975 no DF e 7.278.719 em GO”, disse a Anatel.

De acordo com a agência, a terceira fase abrangerá os estados da Região Nordeste e demais estados da Região Norte e Sudeste, incluindo São Paulo. Para esses estados, o encaminhamento de mensagens aos usuários a partir de 7 de janeiro de 2019 e impedimento do uso dos aparelhos irregulares a partir de 24 de março de 2019. Nesses estados, a medida vale para aparelhos irregulares habilitados a partir de 7 de janeiro de 2019.

Consumidores que estejam utilizando aparelhos irregulares antes dessas datas não serão desconectados caso não alterem o seu número. Já aqueles que conectarem às redes de telecomunicações aparelhos irregulares após essas datas serão notificados por mensagens SMS e, após 75 dias, o aparelho não irá mais funcionar nas redes de telecomunicações.

Celulares estrangeiros

Celulares comprados no exterior vão continuar funcionando no Brasil, desde que sejam certificados por organismos estrangeiros equivalentes à agência reguladora. Um celular só é considerado irregular quando não possui um número IMEI registrado no banco de dados da GSMA, associação global de operadoras.

Não serão considerados irregulares os equipamentos adquiridos por particulares no exterior que, apesar de ainda não certificados no Brasil, tenham por origem fabricantes legítimos.


Rua José e Maria Passos, nº 25 - Centro - Palmeira dos Índios - AL.

Redes sociais


Facebook

Whatsapp: 82 99641-3231

Fale conosco


82 99641-3231

© 2018 Rádio Sampaio - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Interactive MOnkey