82 99641-3231

Rádio Sampaio AM fará mudança para FM e será uma das maiores do Nordeste

Tecnologia possibilitará um aumento da frequência 15 vezes maior nas transmissões

 

 

 

Roberta Sampaio/F5 Alagoas

A empresa de comunicação Sampaio inicia a efetivação do projeto que fará com que Palmeira dos Índios tenha uma das maiores rádios do Nordeste. A partir desta quarta-feira (31), a frenquência da rádio AM deixará de funcionar para entrar no ar uma FM 15 vezes mais potente. Segundo o diretor da rádio, empresário Gileno Sampaio Filho, em 2 ou 3 meses a nova freqüência voltará muito mais forte, contando ainda com a nova estrutura física para garantir o desenvolvimento dos trabalhos realizados por todos os profissionais que fazem parte da empresa.

 
O empresário falou aos ouvintes durante o programa “Nosso Encontro”, comandado pelo radialista Edvaldo Silva e transmitido pela rádio Sampaio FM 92,5 Mhz. Na oportunidade, Gileno explicou que: “Iremos passar de AM para FM. Não estamos fechando a rádio, estamos inovando, acompanhando as novas tecnologias e fazendo com que ela fique ainda mais potente. Estaremos mudando apenas a freqüência e a potência. Com essa mudança teremos 15 quilowatts. Antes tínhamos apenas 1 Kw de potência. Ou seja, iremos ter 15 vezes mais”, explica Gileno Sampaio Filho.

 
Duas rádios

 
Com a mudança da AM para FM, o grupo Sampaio terá, então, duas rádios com a freqüência FM, contudo os investimentos maiores estão sendo na nova freqüência 94,5 Mhz que em breve estará no ar.

 

“Já estamos, diria com 95% das coisas prontas. O que falta é apenas algumas liberações e pouca coisa na parte burocrática. Estamos seguindo todos os trâmites exigidos pelo Ministério das Comunicações. Agora é contagem regressiva para termos a nova rádio no ar. Lembrando ainda que contamos também com o site da Sampaio FM que leva mais informação para o público leitor. Preparamos tudo em respeito aos nossos ouvintes e leitores”, afirma o empresário.

 

 

“A Sampaio AM e FM contam a história de Palmeira dos Índios. Agradecemos ao saudoso Gileno Sampaio por podermos fazer parte dessa história. Recebemos algumas mensagens de ouvintes muito preocupados porque achavam que rádio deixaria de existir. Isso nos mostra o importante papel que a empresa tem na vida da população palmeirense e também da região. As pessoas acreditam no nosso trabalho e no compromisso de todos os que fazem parte da rede Sampaio de comunicação, que hoje é liderada por Gileninho. Um filho que sonhou o mesmo sonho do seu pai e está conseguindo vê-lo realizado”, disse o radialista – Edvaldo Silva.

 
52 anos de rádio AM

Gileno Costa Sampaio, fundador da Rádio Sampaio AM

A rádio Sampaio AM foi fundada por Gileno Sampaio (in memorian) e esteve no ar pelos últimos 52 anos. A rádio sempre foi considerada a mais importante emissora da cidade de Palmeira dos Índios. Com a informação de que a AM não funcionará mais a partir de hoje, vários comunicadores que fizeram parte da rádio fizeram agradecimentos e falaram sobre o que foi trabalhar na empresa.

 
“Foram 52 anos e 5 meses exatos, levando o nome da nossa região, principalmente da cidade de Palmeira. Eu tive meu primeiro registro profissional em 01 de junho de 1982, sendo assim, amanhã, completo 35 anos de Empresa. Só posso dizer uma coisa: Obrigado Gileno Sampaio, obrigado Dona Carminha, obrigado Gileninho Sampaio”, agradeceu o radialista Antônio Oliveira.

 

 

Gileno Sampaio Filho finalizou dizendo que “Fomos pioneiros na história do rádio em Palmeira com a AM. E justamente por isso, temos que nos atualizar para estarmos sempre acompanhando as inovações do nosso tempo e pensando no futuro. Quero agradecer aos companheiros, profissionais, ouvintes e anunciantes, e dizer que estamos melhorando o nosso projeto, engrandecendo do sonho de meu pai -Gileno Sampaio – que sempre foi o de ajudar a garantir o melhor para o povo da nossa querida Palmeira dos Índios”.


“Móveis da FUNDANOR não serão mais devolvidos” informa o presidente da fundação

Calixto agradece apoio da Rádio Sampaio FM ao divulgar situação vivenciada e apela para que governo reconheça a importância dos trabalhos para comunidade carente

Roberta Sampaio/F5 Alagoas

O presidente da Fundação de Amparo ao Menor (FUNDANOR), Calixto, recebeu na manhã desta sexta-feira (26), o repórter da Rádio Sampaio FM – Rafael Santos, para falar sobre a informação de que haveria a possibilidade de alguns móveis, que foram doados pelo Governo de Alagoas à Fundanor, serem devolvidos ao Estado. Vale destacar que o assunto já havia sido abordado no Programa “Nosso Encontro” – comandado pelo radialista Edvaldo Silva e-, diante da situação, a reportagem voltou ao local para saber se a situação estava solucionada.
De acordo com as informações, a FUNDANOR tinha recebido os móveis por meio de doação feita pelo Estado de Alagoas, onde seria uma parceria entre Fundanor – Governo do Estado e a Caixa Econômica Federal. Contudo, após dois anos, a parceria não foi efetivada e o presidente disse que recebeu um ofício da Secretaria de Estado de Prevenção à Violência (Seprev), pedindo para recolher os móveis.
“Foi quando entramos em contato com o programa “Nosso Encontro” e concedemos entrevista ao radialista Edvaldo Silva. Quero agradecer o apoio dado por toda a equipe da Sampaio FM, pois foi através dos microfones da rádio que conseguimos solucionar esse problema. Ficamos felizes em dizer que estamos com a sala funcionando. A secretaria e o governo do Estado não se manifestaram mais sobre o recolhimento desses móveis, inclusive a sala de informática da FUNDANOR está funcionando perfeitamente. Queremos destacar também o apoio dado pelo Promotor de Justiça – Dr. Rogério Paranhos que também nos ajudou muito”, disse o presidente.
Doações
Calixto falou também sobre a doação de 25 computadores feita pelo SENAC , por meio do Sindilojas Palmeira dos Índios.
“O amigo Gil e os representantes do Fecomércio vieram nos visitar e fizeram a doação. A sala está toda montada e os meninos entusiasmados com as aulas. Pedimos que o governo e a Seprev entenda a importância dessa estrutura para a comunidade carente. Convidamos todos para virem conhecer a Fundanor. Toda ajuda é bem vinda. Temos 110 crianças e adolescente inscritos na fundação. Destacamos e agradecemos a importante parceria com o município de Palmeira dos Índios, mas temos consciência de que os custos são altos”, destaca.
Curso de padeiro
Ao final da entrevista concedida ao repórter Rafael Santos – o presidente informou ainda que “No dia 29 de maio acontecerá a primeira aula de padeiro da FUNDANOR e iremos abrir a nossa padaria. Já temos 20 pessoas selecionadas para nos ajudar a executar o curso, isso por meio de um convênio que conseguimos com o SENAC.
Parcerias
Uma comissão da OAB/AL visitou a sede da FUNDANOR e, de acordo com o presidente, mostrou interesse em ajudar no projeto realizado pela Fundação.
“As terças-feiras temos o nosso encontro do Centro Integrado de Atendimento à Criança e Adolescente – ressaltando que já faz dois anos que nos reunimos uma vez por semana e esperamos que esse projeto se desenvolva cada vez mais. Somos referência hoje em todo o Estado. Já recebemos visitas de representantes de vários municípios que vieram os procurar para aprender e ver como é o funcionamento”, finaliza Calixto.


Palmeira dos Índios: terra da cultura também vai entrar na rota do turismo de aventura

O município de Palmeira dos Índios descobre, aos poucos, a vocação natural para o turismo de aventura, o ecoturismo e também para a prática de esportes radicais. Os motivos para isso são muitos, mas o principal é a própria natureza, generosa com o lugar. A cidade, localizada no Agreste alagoano, é banhada, principalmente, pelo rio Coruripe e está situada no sopé das serras do Goiti, Candará e Boa Vista, a 342 metros de altitude, acima do nível do mar. Com um clima tropical semiúmido, os verões são quentes e os invernos razoavelmente frios, principalmente à noite.

 

É na Serra do Goiti que começa o Planalto Borborema, região serrana do interior do Nordeste que compreende as cidades de Palmeira e Arapiraca (AL), Campina Grande e Itabaiana ((PB), Caruaru e Garanhuns (PE) e Santa Cruz (RN). E é neste Planalto que 60% da área da cidade está inserida. Os outro 40%  ocupam a unidade geoambiental da Depressão Sertaneja. Ou seja, é um convite para os amantes de esportes, aliados às belas paisagens do lugar, que também inclui museus, casarões, muitas histórias e cultura. Daqui saíram nomes como Graciliano Ramos, Jacinto Silva, Carlos Moura, Clemilda, Mestre Chicão (pai de Dominguinhos), a “Viúva Porcina”, Tenório Cavalcante, Jofre Soares, os índios Xucuru-Kariri, e tantos outros que orgulham a terra.

 

E por ser uma cidade charmosa, que enche os olhos de quem a visita, Palmeira desponta com mais uma novidade e vai receber, no próximo sábado (27), um encontro de amigos, pilotos de parapente, liderado pelo instrutor Emerson Miranda, do grupo Alagoas Voo Livre. Na ocasião, também será inaugurada a Rampa Portal do Sertão, na Serra do Goiti. “Percebemos que Palmeira tem condições propícias para o voo livre, de parapente. Escolhemos o nome da rampa Portal do Sertão porque Palmeira tem todas as características que simbolizam a região, sem falar nas belezas naturais que possui. Tenho certeza de que esse novo passo para o turismo de aventura vai render bons frutos para a cidade, além de atrair pilotos de várias partes do mundo. Realizamos os nossos testes este final de semana, e no próximo, estaremos de volta para um encontro descontraído e cheio de aventuras”, garantiu Emerson, que há 12 anos é instrutor de voo livre.

 

Para o vice-prefeito Márcio Henrique, que acompanhou de perto o “test fly” do Alagoas Voo Livre, Palmeira tem um grande potencial turístico que precisa ser explorado. “O Emerson viu uma grande perspectiva para que o grupo possa atuar em Palmeira, e que também tem rampa natural para isso. Palmeira precisa redescobrir suas vocações, por isso precisamos buscar profissionais que tenham conhecimento das áreas que pretendemos explorar, como essa modalidade do parapente. O município tem história, tem cultura, turismo  tudo para se desenvolver e com uma gestão responsável, como está sendo feita agora, isso vai acontecer com toda certeza”, destacou.

 

O prefeito Júlio Cezar reforçou que Palmeira tem vocação natural para os esportes radicais e de aventura, e com a inauguração da rampa o município vai entrar, de vez, na rota da prática de voos livres do Estado e também do Brasil. “Já recebemos o clube do automóvel antigo, em julho teremos circuitos de quadriciclo, de MotoCross, trilhas de jeep e agora o parapente. Aos poucos, vamos resgatando a capacidade que Palmeira tem, não só na área cultural mas também colocando a cidade na rota dos eventos de aventuras. E isso é bom porque as pessoas voltam a frequentar a cidade. É dinheiro novo que vai circular aqui, pois as pessoas abastecem os carros, se hospedam nos hotéis e fazem refeições nos restaurantes e lanchonetes. Palmeira é uma cidade que encanta, é bucólica e a prefeitura vai apoiar tudo isso. Vamos dando um passo de cada vez, em busca do resgate definitivo da nossa história, da nossa cultura, e agora, dando um passo mais à frente com o município entrando na rota dos esportes radicais e do turismo de aventura”, garantiu o prefeito.


“Maracanã da Vaquejada” será reativado após 31 anos, em Palmeira

O Parque São José, que já foi conhecido em todo o Brasil como o “Maracanã da Vaquejada”, vai reabrir suas portas,  depois de passar um período de 31 anos fechado, e voltará a ser palco de grandes festividades rurais em Palmeira dos Índios. A reabertura do local já tem data marcada e acontecerá entre os dias 17 e 20 de agosto, com a grande vaquejada, intitulada “Joventino Ferreira”, que vai atrair vaqueiros de todo os recantos do país.

 

A premiação conta com 10 carros para os vencedores da disputa, que será dividida em várias categorias. O prefeito de Palmeira Júlio Cezar e o presidente da Câmara de Vereadores Júnior Miranda receberam a permissão do empresário Joventino Ferreira, dono do Parque São José, para promover o evento, que contará, ainda, com uma exposição de gado.

 

De acordo com Joventino Ferreira, ceder o Parque São José para que ele volte a realizar grandes vaquejadas em Palmeira é motivo de muita felicidade para ele e todos os palmeirenses, amantes da prática esportiva. “Palmeira dos Índios estava uma cidade morta e precisava de uma balançada para acordar. Tenho certeza de que essa vai ser uma grande festa e eu não poderia deixar de atender a um pedido do prefeito Júlio Cezar. Ainda mais para uma das festas que eu mais gosto, que é a vaquejada”, afirmou Joventino.

 

O presidente da Câmara Júnior Miranda disse que o povo palmeirense e a vaqueirama do Brasil manifestam a mais profunda gratidão pela sensibilidade do empresário Joventino, em ceder o espaço para a realização da festa. “O prefeito Júlio teve a coragem de solicitar ao Joventino que cedesse o espaço dele, que é o Parque São José, para essa grande festa. Estamos muito felizes, e em nome da Câmara, e de todos os que gostam da vaquejada, queremos agradecer a oportunidade, com a certeza de que essa vai ser uma das mais belas festas de vaquejada que Palmeira já viu. E será a primeira, depois desses trinta e um anos do Parque fechado, de muitas outras que virão. Também vamos fazer uma grande homenagem a pessoas que correram aqui, no passado. E já adiantamos que essa vaquejada levará o nome de Joventino Ferreira,”, garantiu Júnior Miranda.

 

Para o prefeito Júlio Cezar, a data para a reativação do Parque, em agosto, será muito importante, pois ela fará parte de uma semana festiva em Palmeira, que inclui a emancipação política do município, inaugurações de escola e de espaço público. “Sabemos que essa data também é propícia, no calendário dos vaqueiros, para a realização das vaquejadas, em todo o Brasil. Vamos aliar essa festa do ‘Maracanã da Vaquejada’ às festividades que teremos em Palmeira, com algumas inaugurações de obras e a nossa emancipação política. A contribuição do Joventino, em ceder o Parque, nos dá muita felicidade. As pessoas precisam reviver as grandes festas e as manifestações culturais da nossa terra. Esse evento vai colocar Palmeira de volta no circuito de vaquejadas do país”, destacou.

 

E continuou. “Agora, temos que correr contra o tempo para organizar tudo. E nisso o Júnior Miranda já tem experiência. Estamos nas tratativas para a exposição de gado, que ocorrerá paralelo à vaquejada, conversando com parceiros e apoiadores do evento, que também contará com outras atrações, como shows musicais. A vaquejada é uma festa que teve origem no Sertão nordestino, com a labuta da criação do gado, diante da bravura do vaqueiro e à ela está atribuída uma importância de grandeza imensurável, ao ponto de tamanha contribuição para a história não só do Nordeste como do Brasil. Com esta representatividade cultural, construída ao longo do tempo, o vaqueiro tornou-se um símbolo de orgulho para o Nordeste e sua imagem possui um relevante potencial turístico. Inegavelmente, o Joventino é um visionário e um homem à frente do seu tempo. Agradecemos a ele por esta oportunidade de devolver ao nosso povo essa festa que é de todos nós. Este é um dia memorável, da reabertura do ‘Maracanã da Vaquejada’, que ficará para sempre nas nossas lembranças.”, finalizou o prefeito.

 

O comandante do 10º Batalhão de Polícia Militar (10º BPM) de Palmeira dos Índios tenente-coronel Pantaleão Ferro, o Sargento Amorim e o secretário de Articulação Política Emílio Silva participaram da reunião para a reabertura do Parque São José. Outros detalhes da “Vaquejada Joventino Ferreira”, como inscrições, valores e premiações serão anunciadas, em breve, pela organização do evento.

 

Fotos: Diego Pereira/Assessoria


CSE e Coruripe se garantem na 1ª divisão do Alagoano

Derrotados nesta quarta-feira, Sete de Setembro e Miguelense estão rebaixados para a divisão de acesso

CSE e Coruripe estão garantidos na elite do futebol estadual. Na noite desta quarta-feira, mais dois jogos movimentaram o quadrangular da permanência, que, com uma rodada de antecedência, definiu os dois times rebaixados para a divisão de acesso do Campeonato Alagoano, em 2018, quando Miguelense e Sete de Setembro vão disputar a Segundona.

No Estádio Juca Sampaio, em Palmeira dos Índios, o CSE fez o dever de casa e venceu o Sete de Setembro por 2×0, gols de David e Da Silva, ambos no segundo tempo.

Com este resultado, o Tricolor foi a 11 pontos e assumiu a liderança do quadrangular, enquanto o time do Tabuleiro do Martins estacionou na terceira colocação, com cinco pontos. Como, mesmo vencendo na última rodada, só teria condições de alcançar os oito, já não tem qualquer chance de escapar da degola na última rodada.

Isso porque o Coruripe, que jogou fora de casa, goleou o Miguelense no Estádio Coaracy da Mata Fonseca, em Arapiraca, por 4×0, garantindo-se na segunda posição, com nove pontos. Kiko, no primeiro tempo, Alisson, Lázaro e Diego Renato – todos na etapa complementar – assinalaram os gols da partida.

O time de São Miguel dos Campos, por sua vez, tem apenas um ponto, preparando-se para se despedir da competição na tarde do próximo domingo, quando, a partir das 16h, vai apenas cumprir tabela, fazendo o duelo dos rebaixados contra o Sete de Setembro, fora de casa. No mesmo dia e horário, o Coruripe vai receber o CSE, no Estádio Gerson Amaral, em Coruripe, em partida que vai definir o “campeão” do quadrangular.


CSE goleia o Miguelense no Juca Sampaio pelo “Torneio da Morte”

CSE x CRB, no Juca Sampaio (Foto: Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas)O CSE conquistou uma vitória muito importante na noite deste sábado. Em Palmeira dos Índios, goleou o lanterna Miguelense por 4 a 0 e chegou a oito pontos no quadrangular da permanência do Alagoano. Assumiu a liderança da fase e está mais longe da degola. Com apenas um ponto, o time de São Miguel só escapa do rebaixamento com um milagre. Ainda disputa duas rodadas e tem reduzidas chances matemáticas. Se o Sete de Setembro vencer o Coruripe, o Miguelense vai para a Segunda Divisão já neste domingo.

 

Os gols

Os gols da partida saíram no segundo tempo. Aos 14 minutos, Da Silva cobrou falta, a bola foi desviada pela defesa e, de cabeça, Joaninha abriu o placar. Aos 16, de pênalti, Etinho marcou o segundo do Tricolor. Teve mais. Igor fez boa jogada e a bola sobrou para Da Silva, que bateu com muita categoria e marcou o terceiro, aos 34 minutos.

Aos 35, uma curiosidade. O zagueiro Baiano deixou o campo e o presidente do Miguelense, Pililiu, voltou a jogar. A segunda partida dele no Alagoano. Foi para o ataque e viu de dentro do campo Juliano marcar o quarto do Tricolor, aos 40 minutos, e fechar o placar. Comandado pelo técnico Lino, o CSE pode garantir a permanência já na próxima rodada.

A próxima

Quarta-feira, o CSE recebe o Sete de Setembro no Juca Sampaio, em Palmeira, às 20h30. Nos mesmos dia e horário, o Miguelense enfrenta o Coruripe no Estádio Coaracy da Mata Fonseca, em Arapiraca.


Rua José e Maria Passos, nº 25 - Centro - Palmeira dos Índios - AL.

Redes sociais


Facebook

Whatsapp: 82 99641-3231

Fale conosco


82 99641-3231

© 2018 Rádio Sampaio - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Interactive MOnkey