Palmeira dos Índios
26 ºC Parcialmente Nublado

Palmeira dos Índios | Parcialmente Nublado
26 ºC

82 99641-3231 (pedido musical)

82 99947-6977 (jornalismo)

82 99641-3231 (pedido musical)

82 99947-6977 (jornalismo)

Justiça barra resultado do Sisu e manda MEC comprovar correção de falha no Enem

Justiça barra resultado do Sisu e manda MEC comprovar correção de falha no Enem

Uma decisão liminar da Justiça Federal determina que o processo do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) seja suspenso assim que as inscrições forem encerradas, o que na prática significa que os resultados não poderão ser divulgados na terça-feira (28).

Além disso, determina que o governo comprove que o erro na correção das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 foi totalmente solucionado.

Um dos argumentos da Defensoria Pública no pedido foi o princípio da transparência. Ela alega que o processo de revisão dos erros de correção não foi claro o suficiente. “Há fortes indícios de que os candidatos sequer receberam uma resposta acerca de seu pedido de revisão das notas”, diz a DPU na petição.

Além disso a DPU diz que o erro na correção das quase 6 mil provas pode ter influenciado na nota dos demais participantes, já que a metodologia TRI considera a proporção de acertos e erros de todos os candidatos. Para a Defensoria, a solução do problema seria a revisão da nota de todos os inscritos no Enem.

“Tantas idas e vindas, tantas informações ditas para serem negadas em seguida causam insegurança. (…) É preciso que as pessoas recebam as informações sobre o que de fato ocorreu, e é isso que a decisão garante” – João Paulo Dorini, defensor público regional em São Paulo

AGU nega prejuízo

A AGU informou em nota que “não houve prejuízo aos candidatos depois de adotadas as soluções administrativas nos casos pontuais que estão sob análise da Justiça”.

“Assim como em outras ações que questionam as notas do Enem 2019, a instituição está prestando todos os esclarecimentos necessários sobre as medidas adotadas para manter a regularidade dos processos e evitar o prejuízo que eventual alteração de cronograma relacionado ao Sisu pode acarretar também para outras políticas na área de educação, como Prouni e Fies”, declarou a AGU.


Sisu 2020 teve quase 1 milhão de inscritos no 1° dia

Sisu 2020 teve quase 1 milhão de inscritos no 1° dia

O Sistema de Seleção Unificada (Sisu) teve quase 1 milhão de candidatos inscritos no 1° dia de funcionamento do processo seletivo de 2020. Os candidatos usam as notas obtidas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) na disputa por uma das 237 mil vagas em instituições públicas de ensino superior do Brasil oferecidas por meio do sistema.

Ao todo, nas primeiras 24 horas, foram 993.311 pessoas inscritas. No ano anterior foram 492 mil candidatos no mesmo período, segundo o Ministério da Educação (MEC). Como os participantes podem se inscrever em até dois cursos, o número de candidaturas registradas era, até 1h, 1.870.751. Os concorrentes podem se inscrever até as 23h59 do próximo domingo (26).

O balanço do primeiro dia de inscrições foi divulgado pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub, na manhã desta quarta-feira (22).

Sisu 2020: como se inscrever

  • As inscrições devem ser feitas na página do Sisu.

  • Podem participar os candidatos que fizeram o Enem em 2019 e não tiraram nota zero na prova de redação. Nesta edição, são 237.128 vagas em 128 instituições de todo o país.

  • Cada candidato poderá se inscrever em até duas vagas, especificando a ordem de preferência e o turno no qual pretende estudar.

  • Também é necessário definir a modalidade na qual o aluno se encaixa – ampla concorrência ou alguma relativa às ações afirmativas (com critérios raciais ou sociais).

O que o candidato deve saber sobre a inscrição do Sisu:

  • As inscrições vão de 21/1 a 26/1;

  • É possível escolher dois cursos (primeira e segunda opção);

  • O sistema atualiza uma vez ao dia e muda a ordem dos inscritos conforme a nota do Enem;

  • A primeira atualização será divulgada a partir da 0h de 23/1;

  • Recomenda-se que o estudante entre no sistema uma vez ao dia para saber se a disputa pela vaga ainda é viável ou se prefere mudar de curso;

  • O resultado da chamada regular sai no dia 28/1;

  • Se for aprovado na segunda opção de curso, o candidato não será incluído na lista de espera da primeira opção;

  • O prazo para escolher participar da lista de espera é de 29/1 a 04/2;

  • A convocação da lista de espera será no dia 7/2 a 30/4;

Cronograma do Sisu 2020

  • Abertura das inscrições: 21 de janeiro (terça-feira)

  • Fim das inscrições: 23h59 de 26 de janeiro (domingo)

  • Resultado: 28 de janeiro

  • Prazo para participar da lista de espera: 29/1 a 04/2

  • Convocação dos candidatos em lista de espera: 07/2 a 30/4


Mec afirma que notas das redações do Enem não foram prejudicadas

O Ministério da Educação informou nesta terça-feira (21), que o processo que pontua as redações do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é diferente da correção das questões objetivas. Por isso, de acordo com o ministério, as notas dos textos não serão prejudicadas pelas inconsistências na correção das provas objetivas. O MEC informa também que cinco mil avaliadores são responsáveis pela correção manual das redações.

Todas as redações são avaliadas por dois professores em plataforma online, com texto sem identificação. Um professor não tem acesso a nota atribuída pelo outro. Quando a discrepância das notas é superior a 100 pontos, no total, ou 80 pontos em uma das cinco competências avaliadas, um terceiro professor faz a correção. A nota final é a média aritmética das duas notas totais que mais se aproximam.

Caso a inconsistência persista após a análise do terceiro professor, a redação é corrigida por uma banca de professores especializados. Eles têm poder decisório para definir a nota final.

A redação do Enem 2019 avaliou cinco competências: domínio da escrita formal; desenvolvimento do tema em estilo dissertativo-argumentativo; relacionar, organizar e interpretar informações e argumentos em defesa de uma opinião; conhecimento de mecanismos linguísticos para construir a argumentação; e elaboração de proposta de intervenção para o problema proposto, com respeito aos direitos humanos.

A nota máxima prevista é mil. Textos com até sete linhas ou que fugiram ao tema estão entre os critérios para zerar a redação. Os participantes que tiverem dúvidas em relação às notas das questões objetivas, podem entrar em conato com o Inep, pela central 0800-616161.


Inscrições no Sisu vão até domingo; Ufal oferece mais de 5 mil vagas em 108 cursos

Universidade Federal de Alagoas (Ufal)

Com a divulgação dos resultados do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no último dia 17, os alagoanos que não zeraram a redação e não participaram na condição de treineiros poderão acessar o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) a partir desta terça-feira (21). O Sisu é uma das principais formas de ingresso nas instituições de ensino superior públicas e tem como base a nota do Enem.

O período de inscrições do Sisu vai até domingo (26) e o resultado da chamada regular está previsto para 28 de janeiro. Segundo informações do Ministério da Educação (MEC), a matrícula da chamada regular ocorre de 29 de janeiro a 04 de fevereiro, sendo este mesmo período destinado para participar da lista de espera.

Na Universidade Federal de Alagoas (Ufal), são 5.373 vagas distribuídas em 108 cursos, sendo 50% dessas vagas destinadas para estudantes cotistas e 50% para a ampla concorrência. Este ano, a Ufal está oferecendo dois novos cursos no Sisu: Agroecologia e Engenharia Elétrica.


Alagoanas com nota “mil” na redação do Enem contam como o Ifal contribuiu

Aldillany Maria Rodrigues da Silva, de 20 anos, e Nathalia Vital Silva, de 24 anos

Após receber nota máxima na redação, as estudantes Aldillany Maria Rodrigues da Silva, 20, e Nathalia Vital Silva, 24, ficaram conhecidas em todo o estado. Elas são as únicas alagoanas que conseguiram “mil” na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) aplicado em 2019. Em todo o Brasil, somente 53 candidatos alcançaram tal mérito. E, em comum, as alagoanas possuem no currículo um curso técnico integrado ao ensino médio do Instituto Federal de Alagoas (Ifal).

Nathalia Vital concluiu o curso técnico em Informática pelo Campus Palmeira dos Índios, em 2015. Já Aldillany se formou em 2016 em Eletroeletrônica, no Campus Arapiraca. Desde então, as duas tentam ingressar no concorrido curso de Medicina. E, nessa jornada, veio a primeira nota máxima no Enem. “Estudar no Ifal foi, com certeza, essencial para os desempenhos que eu tenho tido. Além da formação do ensino médio e técnico, houve a formação humana também porque a maioria dos professores incentivavam esse lado mais humano da gente”, conta Aldillany.

Durante o tempo de formação no Ifal, ela se envolveu com um projeto de Extensão na área de lixo eletrônico e se dedicou bastante às aulas. Desde 2016, a estudante tem feito a prova do Enem. Durante essa trajetória, ela conseguiu aprovações em: Direito, Odontologia, chegando a conquistar 980 na redação do Enem e, nos últimos dois anos, conseguiu a nota máxima na prova de redação da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas, a Uncisal. “Só não tinha conseguido ainda, que espero que dê certo este ano, ingressar em Medicina”.

Filha de uma costureira e de um mecânico, Nathalia ingressou no Ifal Palmeira em 2012, quando teve aulas de Português e Redação com as professoras, Maria José Batista e Andrea Carla Jacinto. “Todos os professores que tive no campus me ensinaram muito. Em especial elas que introduziram as minhas tentativas de escrever uma redação. Foi no Ifal que fiz as primeiras e aprendi dicas que uso até hoje”, disse.

Segundo Aldillany, a trajetória foi importante para acumular conhecimento. “Tudo que você aprende vai ficando guardadinho e sempre soma. Do Ifal, eu lembro da professora Sandra Cavalcante, que estava dando aula de Redação no último ano. Todos os ensinamentos são firmados e guardados. É o somatório desse tempo de estudo, desde o Ifal, ao cursinho, tudo contribui para o alcance do êxito”, explicou Aldillany.

No último ano, Aldillany se dedicou a um cursinho à noite e organizou a rotina pela manhã e à tarde para estudar em casa. “Eu definia os horários para cada disciplina, organizava de acordo com o que eu tinha mais dificuldade, para deixar um horário maior, e minha rotina de estudos era essa, estudar em casa, respondendo questões, ver o que eu tinha dificuldades para focar mais”. Em relação à redação, ela conta que fazia um tema de redação por semana, corrigindo com a ajuda de professores do cursinho e ficando atenta para não cometer os mesmos erros.

Já Nathalia relata que logo após o término do curso técnico no Ifal, começou a se preparar para os vestibulares e Enem. Foram três anos estudando sozinha, em casa, fazendo apenas uma matéria isolada de Matemática em Arapiraca. “No ano passado, consegui uma bolsa em um cursinho, passando a ter o apoio dos professores de lá. Estudo o dia inteiro, não determino horas específicas. Aos domingos eu sempre tentei descansar. Em especial, para a redação, tinha um caderno de temas, no qual eu dedicava para pesquisas e preparação das teses e possíveis repertórios. Acho que o diferencial é a prática contínua. Além disso, desde 2018 comecei a estudar mais filosofia e notei uma diferença muito grande na forma que escrevo. Fiquei mais crítica e reflexiva”, ressaltou.

Tema da redação surpreendeu, mas agradou

Nesse último Enem, a redação teve como tema “Democratização do acesso ao cinema no Brasil”, um tema específico, mas Aldillany conta que foi para a prova confiante. “Eu comecei com a Constituição Federal que diz que, em tese, o acesso ao lazer deve ser para todos e o cinema está incluso. Então eu falei também na Escola de Frankfurt, inclusive os professores de Sociologia do Ifal falavam muito sobre isso, que a cultura está sendo mercantilizada, virou um produto para se vender e não deveria ser assim, deveria ser algo para ampliar o conhecimento para todos”.

Nathalia lembra que no dia da prova ficou surpresa ao conferir o tema da redação. “Não esperava algo sobre arte e cultura. Na introdução, eu falei que a consolidação do capitalismo, ocorrida ao final da Guerra Fria, ajudou o cinema a se transformar em um dos principais meios de acesso à cultura, mas que, apesar disso, o Brasil enfrenta desafios para fazer valer esse fato, uma vez que há uma negligência escolar em incentivar o apreço por filmes”, justificou.

Os estudos da Filosofia também foram de grande valia para ela que citou Aristóteles e falou de regiões mais pobres com quase nenhum acesso à sétima arte. “O estímulo para ir ao cinema é baixo e as pessoas não o valorizam como meio de acesso à cultura. Utilizei a ideia de Aristóteles, de que o desenvolvimento de virtudes e aptidões se dão por meio de uma educação eficiente. Mencionei o filósofo Jurgen Habermas, o qual fala que incluir e amparar toda a população é fundamental para um convívio social justo e harmônico. Dessa forma, a democratização do acesso ao cinema será possível se houver essa inclusão de toda sociedade”, explanou Nathalia.

Desistir jamais!

Para quem vai prestar o próximo Enem ou não teve uma nota muito boa nessa edição, Aldillany dá um recado: “Tudo é possível quando você busca com dedicação, com persistência, com resiliência. Com disciplina e esforço você conquista tudo o que você quiser. Apesar da luta muitas vezes ser grande, os resultados são maiores, vale a pena ficar estudando e lutando pelo que você deseja”.

O lema de Nathalia é: nunca desistir dos seus sonhos. “Obter êxito em qualquer área da nossa vida é somente uma questão de não desistir! Acredito que todos somos capazes de alcançar o que quisermos. Todo mundo é dotado de alguma inteligência. Para mim, nunca foi suficiente só a inteligência, mas também o esforço e a persistência. Os nossos sonhos são o que nos move, então não tem como desistir deles.”, conclui.


Horas após abertura de site, Sisu tem quase 500 mil inscrições

Horas após abertura de site, Sisu tem quase 500 mil inscrições

Quase 500 mil candidatos que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019 se inscreveram no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) poucas horas após a abertura do site para o público na madrugada desta terça-feira (21).

O aviso do número de inscritos foi dado pelo ministro Abraham Weintraub no twitter pouco antes de uma reunião de ministros em Brasília. “Queria tranquilizar a todos que o Sisu está funcionando normalmente”, afirmou.

Nos comentários, porém, as opiniões do público se dividiam. Enquanto alguns elogiavam a postura do representante da Pasta, outros reclamavam de lentidão no site e lembravam dos problemas com notas erradas de candidatos. A estimativa do MEC é de que mais de 30 mil pessoas tenham sofrido de problemas com notas por causa de um erro na gráfica.

Ao todo, mais de 237 mil vagas estão abertas para essa edição do Sisu. Elas estão divididas em 128 instituições de ensino diferentes. O prazo para se inscrever vai até a sexta-feira (24).

Por causa dos erros na correção de algumas provas, o Ministério Público chegou a pedir a suspensão da abertura das inscrições do Sisu na segunda-feira (20).


Rua José e Maria Passos, nº 25 - Centro - Palmeira dos Índios - AL.

Redes sociais


Facebook

Whatsapp: 82 99641-3231

Fale conosco


82 99641-3231

© 2020 RÁDIO SAMPAIO - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Interactive MOnkey