82 99641-3231

Juro do cheque especial atinge 314,5%, o mais alto desde 1999

Juro médio de principais modalidades passou de 139,78% ao ano em dezembro de 2015 para 156,33% ao ano em dezembro de 2016. Juro do cheque especial é o mais alto desde 1999.

Paying by card

taxa média de juros cobradas pelas instituições em operações de crédito caiu na passagem de novembro para dezembro, mas subiu no acumulado do ano de 2016 em todas as modalidades de crédito pesquisadas pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac).

Segundo a Anefac, a taxa de juros média geral para pessoa física recuou de 8,2% ao mês (157,47% ao ano) em novembro de 2016 para 8,16% ao mês (156,33% ao ano) em dezembro de 2016 – a menor taxa de juros desde agosto de 2016. A taxa média, entretanto, ficou bem acima da registrada em dezembro de 2015, de 7,56% (139,78% ao ano).

No cartão de crédito, o juro médio caiu de 459,53% ao ano em novembro para 453,74% ao ano em dezembro – a menor desde outubro do ano passado. O cartão de crédito, no entanto, encerrou 2016 com juros maiores do que há um ano, quando a taxa estava em 399,84% ao ano.

Das seis linhas pesquisadas, apenas a do cheque especial subiu em dezembro: a taxa passou para 314,51% ao ano em dezembro, ante 313,63% em novembro. Trata-se da maior taxa desde março de 1999. Em dezembro de 2015, o juro médio estava em 240,88% ao ano.

Já no crédito para empresas, das três linhas de crédito pesquisadas, todas foram reduzidas no mês. A taxa de juros média passou de 4,82% ao mês (75,93% ao ano) em novembro de 2016 para 4,74% ao mês (74,32% ao ano) em dezembro de 2016, sendo esta a menor taxa de juros desde julho de 2016. No ano, entretanto, os juros também subiram. Em dezembro de 2015, a taxa média era de 65,16% ao ano.

Comparativo 2015 x 2016

Veja a seguir o comparativo das taxas nas principais modalidades, no final de 2015 e de 2016.

Juros do comércio
Dez/2015: 90,12% ao ano
Dez/2016: 98,5% ao ano

Cartão de Crédito
Dez/2015: 399,8% ao ano
Dez/2016: 453,74% ao ano

Cheque especial
Dez/2015: 240,88% ao ano
Dez/2016: 314,51% ao ano

CDC- bancos
Dez/2015: 31,07% ao ano
Dez/2016: 31,68% ao ano

Empréstimo pessoal – bancos
Dez/2015: 67,65% ao ano
Dez/2016: 71,15% ao ano

Empréstimo pessoal – financeiras
Dez/2015: 152,94% ao ano
Dez/2016: 160,05% ao ano

Taxa média
Dez/2015: 139,78% ao ano
Dez/2016: 156,33% ao ano

Queda da Selic

Para o diretor executivo de Estudos e Pesquisa da Anefac, Miguel José Ribeiro de Oliveira, a queda dos juros para o consumidor no mês de dezembro reflete a redução da taxa básica de juros da economia, a Selic, que está atualmente em 13,75%, e também pode ser atribuída à expectativa de novas reduções da Selic frente à redução da inflação. Em outubro, o Comitê de Política Monetária (Copom) iniciou um ciclo de redução da taxa Selic, no primeiro corte do juro básico em quatro anos.

“Com certeza 2017 começa com uma nova perspectiva, em 2016 tivemos altos índices dos juros no país, históricos para ser mais preciso, agora, já na primeira reunião do ano do Copom, é possível que tenhamos uma nova redução, o que coloca o Brasil diante de uma nova realidade”, avalia.

“Mesmo assim é importante ficar atento, pois o cenário econômico atual aumenta o risco de elevação dos índices de inadimplência por conta da recessão econômica em curso, bem como o desemprego elevado, o que aumenta igualmente o risco de novas elevações das taxas de juros aos consumidores, sejam pessoa física ou jurídica”, alerta.

 

 


Receita libera consulta a lote residual do Imposto de Renda

No total, 177.539 contribuintes receberão R$ 370 milhões no dia 16 de janeiro. Lote é referente aos exercícios de 2008 a 2016.

Receita Federal liberou nesta segunda-feira (9) a consulta ao lote multiexercício de restituição do Imposto de Renda, contemplando as restituições residuais referentes aos exercícios de 2008 a 2016.

Nesse lote, estão incluídos 177.539 contribuintes, que receberão o dinheiro no dia 16 de janeiro, no valor total de R$ 370 milhões. Desse total, R$ 6.768.661,55 são referentes a 21.130 contribuintes idosos e 2.232 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave.

Para saber se caiu na malha fina, os contribuintes podem acessar o “extrato” do Imposto de Renda no site da Receita Federal no chamado e-CAC (Centro Virtual de Atendimento). Clique aqui para acessar o e-CAC.

Para acessar o extrato do IR é necessário utilizar o código de acesso gerado na própria página da Receita Federal, ou certificado digital emitido por autoridade habilitada.

Após verificar quais inconsistências foram encontradas pela Receita Federal na declaração do Imposto de Renda, o contribuinte pode enviar uma declaração retificadora. Quando a situação for resolvida, o contribuinte sai da malha fina e, caso tenha direito, a restituição será incluída nos lotes residuais do Imposto de Renda.


IPVA em Alagoas sofre reajuste e fica mais barato em 2017

Segundo a SEFAZ, economia ao contribuinte chega a mais de 20%; pagamento deve obedecer calendário divulgado pela secretaria

Contribuintes em Alagoas podem imprimir guias de pagamento do IPVA a partir de 16 de janeiro (Foto: Jonathan Lins/G1)

A cobrança do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) 2017 em Alagoas começa no dia 24 de janeiro e com uma novidade que deve agradar aos motoristas, a redução do valor da alíquota usada para calcular o valor do imposto com base na potência do veículo.

De acordo com a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), a redução pode gerar uma economia de mais de 20% no bolso dos alagoanos. Os contribuintes podem imprimir as guias para pagamento a partir de 16 de janeiro, no site da secretaria. Para isso, é preciso o número do Registro Nacional de Veículo Automotor (Renavam) e da placa do veículo.

As tabelas com os valores venais e com as datas de pagamento foram publicadas em um complemento do Diário Oficial do Estado (DOE) na quinta-feira (29), e as novas alíquotas foram publicadas na sábado (31) (confira os novos percentuais na tabela abaixo).

Para calcular o IPVA a ser pago, basta localizar na tabela o modelo e o ano do veículo para saber o valor venal. Com ele em mãos, é só multiplicar pela alíquota, como no exemplo abaixo:
Valor venal do veículo: (exemplo: R$ 20.050)
Alíquota: 4%
Cálculo: 20.050 x 0,04 (R$ 802 é o valor que será cobrado no IPVA)

Clique aqui para baixar a tabela com os valores venais

Calendário
O motorista deve ficar atento ao calendário de vencimento, que leva em consideração o número final da placa (veja a tabela abaixo). De acordo com a Sefaz, o pagamento do IPVA 2017 pode ser feito em cota única ou em até seis parcelas. Cada uma delas, no entanto, não pode ser menor do que R$ 100.

Donos de veículos com qualquer número final de placa também terão a opção de pagar cota única com desconto de 10% no mês de fevereiro, mas a secretaria ainda não informou até que dia esse pagamento poderá ser realizado. Isso deve ser definido nos próximos dias.

Os avisos de vencimento serão enviados aos contribuintes também seguindo o calendário abaixo.

Ainda segundo a Sefaz, os contribuintes que adquirirem novos veículos poderão parcelar o imposto no ato da compra na concessionária. O seguro DPVAT será recolhido junto ao vencimento da amarelinha.O secretário de Fazenda, George Santoro, afirma que a redução das alíquotas é uma forma de reconhecimento de que os ajustes fiscais promovidos no estado em 2015 melhoraram a situação econômica de Alagoas.

“Fizemos os ajustes quando necessário e agora estamos reduzindo o imposto com o propósito de movimentar a economia local, dando maior poder de compra aos alagoanos e gerando, inclusive, maiores perspectivas para o comércio de automóveis em Alagoas”, conclui o secretário.

Fonte: G1/AL

Rua José e Maria Passos, nº 25 - Centro - Palmeira dos Índios - AL.

Redes sociais


Facebook

Whatsapp: 82 99641-3231

Fale conosco


82 99641-3231

© 2018 Rádio Sampaio - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Interactive MOnkey