82 99641-3231

Autorizado aumento de quase 7% na tarifa de energia elétrica para Alagoas


A tarifa de energia elétrica de Alagoas vai aumentar 6,68% a partir do dia 28 de setembro. A autorização para o reajuste médio aos consumidores atendidos pela Companhia Energética de Alagoas (Ceal), que é a distribuidora de energia da Eletrobras no estado, foi dada pela diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) nesta terça-feira (18).

Para os consumidores residenciais, o aumento será de 6,54%. Para os consumidores atendidos na baixa tensão, o reajuste ficará em 6,60% e para os da alta-tensão, em 6,89%. A empresa atende a 1,1 milhão de unidades consumidoras localizadas no estado.

O aumento faz parte da revisão tarifária anual da Ceal. Segundo a Aneel, ao calcular o reajuste, conforme estabelecido no contrato de concessão, é considerada a variação de custos associados à prestação do serviço.

“No caso da Ceal, os itens que mais impactaram o reajuste foram os custos de aquisição de energia e encargos setoriais”, disse a assessoria da agência. “É importante observar que a trajetória de reajustes dos últimos dez anos está abaixo da variação dos índices da inflação IGP-M e IPCA no mesmo período”, acrescentou.


 


Petrobras anuncia mais um aumento de preço da gasolina

Depois de uma semana sem reajustes no preço da gasolina, a Petrobras anunciou hoje (12) aumento de 1,02% no preço do combustível comercializado em suas refinarias.

A partir de amanhã (13), o litro da gasolina passará a custar R$ 2,2294, dois centavos a mais do que os R$ 2,2069 cobrados desde 5 de setembro.

No mês, o litro do combustível já subiu nove centavos, ou seja, 4,3% a mais do que custava no fim de agosto (R$ 2,1375).


Receita abre nesta segunda a consulta ao quarto lote de restituição do IRPF 2018

A partir das 9 horas desta segunda-feira, 10 de setembro, estará disponível para consulta o quarto lote de restituição do IRPF 2018. O lote de restituição do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física contempla também restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2017.

O crédito bancário para 2.646.626 contribuintes será realizado no dia 17 de setembro, totalizando o valor de R$ 3,3 bilhões. Desse total, R$219.264.666,31 referem-se ao quantitativo de contribuintes com prioridades estabelecidas em leis (art. 16 da Lei nº 9.250/95 e o Art. 69-A da Lei nº 9.784/99), sendo 4.863 contribuintes idosos acima de 80 anos, 36.308 contribuintes entre 60 e 79 anos, 5.490 contribuintes com alguma deficiência física ou mental ou moléstia grave e 18.409 contribuintes cuja maior fonte de renda seja o magistério.

Para o contribuinte saber se teve a declaração liberada, deve acessar a página da Receita na internet ou ligar para o Receitafone 146. Na consulta à página da Receita Federal, serviço e-CAC, é possível acessar o extrato da declaração e verificar se há inconsistências de dados identificadas pelo processamento. Nessa hipótese, o contribuinte pode avaliar as inconsistências e fazer a autorregularização, mediante entrega de declaração retificadora.


Petrobrás anuncia que preços da gasolina poderão ficar até 15 dias sem reajuste

A Petrobrás informou que vai adotar, a partir desta quinta-feira (06), um mecanismo de proteção financeira (conhecido como hedge) que permitirá aumentar os intervalos de reajustes nos preços da gasolina nas refinarias em até 15 dias. O objetivo é dar mais flexibilidade a sua política de preços.

A estatal vinha adotando, desde 3 de julho do ano passado, reajustes quase diários no valor do combustível, com base sobretudo no mercado internacional e no câmbio. Há dois dias, a gasolina atingiu novo preço recorde nas refinarias.

Segundo a petroleira, esse mecanismo de hedge dará a opção de mudar a frequência dos reajustes diários no mercado interno, “podendo até mantê-lo estável por curtos períodos de tempo, de até 15 dias”.

“Isso não altera a nossa política de preços com relação a sempre buscar a paridade de preços”, afirmou Rafael Grisolia, diretor financeiro da companhia.

Segundo a estatal, o mecanismo de hedge será opcional, aplicado por até 15 dias, e permitirá à empresa obter um resultado financeiro equivalente ao da prática de reajustes diários. O hegde será feito com base no mercado futuro de gasolina e petróleo.

A petroleira recorrerá ao hedge em momentos de alta volatilidade nos preços. Segundo a estatal, o mecanismo de hedge será opcional, aplicado por até 15 dias, e permitirá à empresa obter um resultado financeiro equivalente ao da prática de reajustes diários. O hegde será feito com base no mercado futuro de gasolina e petróleo.

A petroleira recorrerá ao hedge em momentos de alta volatilidade nos preços. “Tem questões nos combustíveis que são estruturais, que você tem uma tendência, e tem outras, como a questão dos furacões [nos EUA], que aumentam a volatilidade”.

A Petrobras informou também que continua em vigor a paridade internacional (PPI), margens para remuneração dos riscos inerentes à operação e nível de participação no mercado, assim como a correlação com as variações do preço da gasolina no mercado internacional e a taxa de câmbio.

Sobre uma possível revisão da política de preços da companhia, o diretor de Refino e Gás Natural, Jorge Celestino, afirmou que não, mas que a medida a aperfeiçoa.


Governo revisa e propõe salário mínimo de R$ 1.006 em 2019

O aumento das estimativas de inflação fez o governo revisar para cima o valor do salário mínimo para o próximo ano. A proposta do Orçamento Geral da União para 2019, enviada hoje (31) ao Congresso Nacional, fixou em R$ 1.006 o salário mínimo para o primeiro ano do próximo governo.

Em 2019, a fórmula atual de reajuste será aplicada pela última vez. Pela regra, o mínimo deve ser corrigido pela inflação do ano anterior, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e dos serviços produzidos no país) dos dois anos anteriores.

De acordo com os Ministérios da Fazenda e do Planejamento, o valor do mínimo foi revisado para cima porque a estimativa de inflação pelo INPC em 2018 passou de 3,3% para 4,2%. O INPC mede a variação de preços das famílias mais pobres, com renda mensal de um a cinco salários mínimos.

A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que fixa parâmetros para o Orçamento do ano seguinte, estabeleceu o salário mínimo em R$ 998 . A previsão considerou o crescimento de 1% do PIB de 2017 mais estimativa de inflação pelo INPC de 3,3%. Inicialmente, o governo tinha proposto salário mínimo de R$ 1.002.


Bandeira tarifária segue no patamar mais alto pelo quarto mês seguido

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou nesta sexta-feira (31) que manterá em setembro a bandeira tarifária no patamar 2 da cor vermelha, o mais alto do sistema.

Isso significa que, para cada 100 quilowatts-hora (kWh) de energia consumidos, haverá cobrança extra de R$ 5 nas contas de luz.

Este será o quarto mês seguido que a bandeira tarifária fica no patamar mais caro. A cobrança extra de R$ 5 para cada 100 kWh começou em junho.

Segundo a Aneel, a bandeira continua nesse patamar em razão das condições hidrológicas ainda desfavoráveis e pela redução no nível de armazenamento dos principais reservatórios do Sistema Interligado Nacional (SIN)”.

Com os reservatórios das hidrelétricas mais baixos, o país precisa usar mais energia gerada por termelétricas, que custam mais.

Sistema de bandeiras

Criado pela Aneel, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo da energia gerada, possibilitando aos consumidores reduzir o consumo quando a energia está mais cara.

O funcionamento das bandeiras tarifárias prevê as cores verde, amarela e vermelha (nos patamares 1 e 2), que indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.


Rua José e Maria Passos, nº 25 - Centro - Palmeira dos Índios - AL.

Redes sociais


Facebook

Whatsapp: 82 99641-3231

Fale conosco


82 99641-3231

© 2018 Rádio Sampaio - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Interactive MOnkey