82 99641-3231

Alagoana que estava esperando transplante de coração consegue doador

Após um ano e três meses de espera, a jovem Ana Karolina Gama de Moraes, 29 anos, recebeu a notícia que seu coração novo está a caminho. A cirurgia ocorrerá nesta terça-feira (22).

A informação foi confirmada pela irmã da jovem, Mariana Gama, após surgiram quatro corações compatíveis e os familiares dos falecidos não autorizarem a doação.

A família de Ana Karolina tinha divulgado nas redes sociais um apelo para que a jovem conseguisse um novo coração porque o o quadro dela piorou e ela passou a ocupar uma das primeiras posições na fila de transplante, o que ocorre quando o risco de morte se torna iminente.

Ana Karolina sofre de miocardiopatia peripato que é uma doença rara associada com a disfunção cardíaca grave. A jovem foi diagnosticada com a doença 48 horas após o parto de sua filha, ao ser internada com caso grave de insuficiência cardíaca.

Karol está internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital do Coração, em Maceió.


Levantamento do CFM diz que Palmeira é quem menos investe em saúde em AL

Uma análise das contas públicas divulgada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) nesta segunda-feira,  aponta que Palmeira dos Índios gasta R$ 117,32 ao ano com saúde para cada cidadão.  É o menor investimento entre todos os municípios alagoanos, o que credencia  Palmeira (que parou no tempo nessas últimas décadas por conta de prefeitos incapacitados) a ocupar o último lugar no ranking de despesas com ações e serviços no ano de 2017. Também figuram entre os municípios que gastaram um valor menor, União dos Palmares (R$ 127,95); Atalaia (R$ 128,52); Santana do Ipanema (R$135,91); e Viçosa (R$ 155,92).

Os dados levantados pelo Conselho são referentes às despesas do Governo Federal, dos estados e dos municípios com itens como custeio de hospitais, compra de equipamentos e pagamento de funcionários da Saúde. De acordo com os números, municípios menores, em termos populacionais, arcam proporcionalmente com uma despesa per capita maior, no entanto, Palmeira dos Índios, é a quarta maior cidade do Estado.

Entre os municípios alagoanos que gastaram um valor maior na saúde, por habitante, estão: Pindoba (R$ 658, 45); Olho D’Água Grande (R$ 580,17);  Mar Vermelho (R$ 517, 61); e Satuba (R$ 501,83) .

Repasses

A gestão do atual prefeito de Palmeira dos índios, Júlio Cezar (PSB), durante o ano de 2017, recebeu da União por meio do Ministério da Saúde, recursos federais que chegam a R$ 50 milhões em seu primeiro ano de mandato. Foram recursos destinados para Média e Alta Complexidade (MAC) que engloba Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e o Hospital Regional Santa Rita,   assim como também, para o Piso da Atenção Básica (PAB), que recebe recursos divididos em duas modalidades – o PAB fixo e PAB variável.

“A população de Palmeira dos Índios tem enfrentado uma série de dificuldades em vários setores, embora a saúde pública venha sendo de fato, um dos maiores, dentre todos os problemas. Desde que assumiu a Prefeitura, em janeiro de 2017, Júlio Cezar vem sendo alvo de denúncias por munícipes; seja pela ausência de exames, de medicamentos -muitos conseguiram por meios jurídicos- e diversas reclamações em relação ao atendimento básico de Saúde. A dificuldade na retirada de medicamentos gratuitos era uma das reclamações”, relata o site Estadão Alagoas, que apurou toda essa matéria.


Maioria das prefeituras alagoanas gasta menos de R$ 300 na saúde por habitante, aponta estudo

Mais da metade das prefeituras alagoanas gastaram menos de R$ 300 reais na saúde de cada habitante durante o ano de 2017. É o que aponta um levantamento divulgado nesta segunda-feira (21) pelo Conselho Federal de Medicina (CFM).

Segundo a análise o valor médio aplicado por gestores municipais de Alagoas em Ações e Serviço Públicos de Saúde declarados no Sistema de Informações sobre Orçamentos Públicos em Saúde (Siops) varia entre R$ 120 a R$ 400 reais. De acordo com os números, municípios menores, em termos populacionais, arcam proporcionalmente com uma despesa per capita maior.

Entre os municípios alagoanos que gastaram um valor maior na saúde, por habitente, estão: Pindoba (R$ 658, 45); Olho D’Água Grande (R$ 580,17);  Mar Vermelho (R$ 517, 61); e Satuba (R$ 501,83) .

Já entre os municípios que gastaram um valor menor se destacam: Palmeira dos Índios (R$ 117,32); União dos Palmares (R$ 127,95); Atalaia (R$ 128,52); Santana do Ipanema (R$135,91); e Viçosa (R$ 155,92).

O levantamento também disponibiliza os valores de 2013 até 2016 e, segundo o mesmo, Maceió tem mantido uma média durante os períodos analisados e gasto menos de R$ 300 por habitante. Em 2017, o município gastou R$ 294,46 com a saúde de cada cidadão.

Arapiraca, em 2013, gastou R$ 188,39, mas em 2016 o valor subiu para R$ 305, 46. Já em 2017, segundo aponta o relatório do CFM, a gestão municipal gastou R$209, 16 com ações de serviço de saúde por pessoa

Em todo o país, nas cidades com menos de 5 mil habitantes, as prefeituras gastaram em média R$ 779,21 na saúde, por habitante, quase o dobro da media nacional identificada. Os municípios das regiões Sul e Sudeste foram os que apresentaram maior participação no financiamento do gasto público em saúde – consequência, segundo o CFM, de sua maior capacidade de arrecadação.

O município de Borá (SP) lidera o ranking de gastos per capita na saúde, com R$ 2.971,92 gastos em 2017. Em segundo lugar aparece Serra da Saudade (MG), cujas despesas em ações e serviços de saúde alcançaram R$ 2.764,19 .

A lista completa, do levantamento, com os dados por município pode ser acessada aqui.

 

*Com informações Agência Brasil


Vacinas devem ser distribuídas aos municípios, Palmeira está incluída

Após problemas na distribuição de vacinas para os municípios, em decorrência de defeito numa câmera fria onde os produtos são armazenados, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) deve normalizar a entrega a partir desta segunda-feira (21).

A intenção é que até o fim desta semana todos os 102 municípios do Estado estejam abastecidos.

De acordo com a assessora especial do Programa de Vacinação da Sesau, Denise Castro, os municípios de Palmeira dos Índios e Santana do Ipanema devem receber ainda nesta segunda doses de diversos tipos de vacina.

Ainda conforme ela, os produtos serão entregues, nesta terça-feira (22), na central de distribuição de União dos Palmares. “Até o final de semana todas as vacinas serão entregues”, assegura.

Denise Castro afirmou, em entrevista ao Bom Dia Alagoas, na TV Gazeta, que a distribuição inclui todas as vacinas do calendário de vacinação anual para crianças, jovens e idosos, entre as quais a tríplice viral, tétano, hepatite B, entre outras.

O problema no envio aos municípios teve início desde o último dia 7, quando uma peça da câmera fria quebrou e teve que ser trazida do estado de São Paulo.

Mesmo diante desta ocorrência, Denise minimiza a situação e garante que, mesmo assim, não houve prejuízos ao armazenamento dos produtos. No total, segundo ela, são mais de 1 milhão de doses para distribuição.


Mais Médicos: Maioria das vagas restantes em Alagoas fica no Sertão

O Ministério da Saúde divulgou esta semana um balanço das vagas ofertadas para o Mais Médicos e quantas ainda faltam ser preenchidas, dois meses após a abertura do programa para substituir os médicos cubanos. Em Alagoas, restam 15 vagas a serem preenchidas em 12 localidades do estado. A maioria está no Sertão e a mais de 100 km da Capital.

Os municípios com carência são Campestre, Igreja Nova, Mata Grande, Olho d’Água das Flores, Olivença, Pão de Açúcar, Piaçabuçu, Piranhas, Santana do Ipanema, Cacimbinhas e São Brás. Existe ainda o Distrito Sanitário Especial Indígena AL/SE que oferta duas vagas.

Em todo o Brasil, restam 1.460 vagas a serem preenchidas, que correspondem a 82% das 8.517 dispostas no edital. Com a publicação do resultado dos selecionados na segunda chamada, mais de 7 mil médicos com registro no Brasil se apresentaram aos municípios.

Dos 1.707 profissionais que se inscreveram na última chamada, 1.089 compareceram aos locais escolhidos e tiveram a participação validada pelos gestores municipais até o dia 14 de janeiro.

O resultado dos selecionados está disponível no site do Programa Mais Médicos. Os médicos ocuparam as vagas de mais da metade das cidades com oportunidades abertas (689) e de 11 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI). Ao todo, a etapa contou com 2.549 vagas em 1.197 municípios e 34 distritos indígenas.

Próxima etapa

Os postos que estiverem em aberto serão disponibilizados na próxima etapa, entre os dias 23 e 24 de janeiro, para os profissionais brasileiros formados no exterior. Se não forem preenchidas, as vagas serão reabertas, nos dias 30 e 31 de janeiro, para os médicos estrangeiros participarem do programa.

As inscrições para o atual edital começaram com os profissionais com registro no Brasil escolhendo as cidades disponíveis. Em seguida, o Ministério da Saúde abriu prazo para que os brasileiros formados no exterior e estrangeiros também participassem da iniciativa. Ao todo, 10.205 profissionais completaram a inscrição. O prazo para o envio da documentação dos profissionais encerrou em dezembro de 2018 e estão em análise pela pasta.


Distribuição de vacinas está suspensa em todos os municípios de Alagoas

A distribuição de vacinas está suspensa em todos os municípios de Alagoas. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), houve um problema técnico na câmara de resfriamento que fica na Central do Programa Nacional de Imunização em Maceió.

A previsão é de que a vacinação seja retomada somente na próxima segunda-feira (21).

A reportagem da TV Gazeta apurou que, em algumas unidades de saúde, as doses já estão em falta, inclusive. No município de Matriz de Camaragibe, no Norte do estado, mães denunciaram que não estão conseguindo vacinar os filhos.

Na entrada de uma unidade de saúde da cidade, um aviso mostrava os dois tipos de vacina que estão em falta: DTP e Penta. O Município diz que, desde dezembro, o Estado não envia mais vacinas. “Estamos trabalhando com a vacina de dezembro, e as doses do rotavírus e da Vip estão prestes a acabar”, disse uma funcionária.

A Sesau já mandou um comunicado para todas as unidades de saúde, avisando que a distribuição de vacinas para os 102 municípios está suspensa. Isso porque houve um problema técnico na câmara de resfriamento, que fica na Central do Programa Nacional de Imunização em Maceió.

“Entre os dias 3 e 4 de janeiro, a temperatura da câmara começou a oscilar de forma muito inesperada e, no dia 4, foi constatado que tinha uma peça que, se não trocasse imediatamente, ela iria parar de vez, e correríamos o risco de perder todas as vacinas. Desde o dia 4, estamos comunicando aos municípios que deixaríamos de distribuir as doses possíveis de aprazamento, ou seja, as que podem ser administradas depois, sem prejuízo, e priorizamos a distribuição dos soros e das imunoglobulinas”, esclareceu a superintendente de Vigilância em Saúde, Mardjane Alves.

O Estado salienta, no entanto, que o problema já foi resolvido e que não houve perda de vacinas. “A câmara já está funcionando desde ontem e se encontra na temperatura adequada. Precisamos só aguardar mais 48 horas para que se estabilize. Não houve perda porque monitoramos com muito cuidado o processo de resfriamento e, logo que percebemos que haveria risco, os imunobiológicos foram retirados e colocados em uma câmara temporária”, reforçou Mardjane.

Ainda conforme a Sesau, a previsão é de que a distribuição das vacinas seja retomada na próxima segunda-feira.


Rua José e Maria Passos, nº 25 - Centro - Palmeira dos Índios - AL.

Redes sociais


Facebook

Whatsapp: 82 99641-3231

Fale conosco


82 99641-3231

© 2019 RÁDIO SAMPAIO - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Interactive MOnkey