Cresce nº de vítimas fatais de acidentes em rodovias estaduais de AL em 2016

| Redação Rádio Sampaio


Dados foram apresentados nesta terça pela PRF e pelo Detran de Alagoas.
Total de acidentes (com ou sem vítimas) em 2016 foi menor que em 2015.

O Departamento Estadual de Trânsito de Alagoas (Detran-AL) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) apresentaram, nesta terça-feira (17), dados de acidentes registrados em rodovias que cortam o estado. Os números mostram que houve um aumento das mortes nas rodovias estaduais no comparativo entre 2016 e 2015. Nas BRs, esse número foi menor.

Segundo o levantamento, divulgado em entrevista coletiva à imprensa, houve 70 mortes nas rodovias do estado em 2016, enquanto o ano anterior registrou 58 mortes.

Nas BRs, foi percebida uma redução, mas os números absolutos ainda são maiores que os registrados nas estaduais. Foram 102 no ano passado, contra 119 em 2015, uma variação de -14%.

No geral, os números foram comemorados pelos órgãos de trânsito. Quando somadas as mortes em todas as rodovias do estado, o número de 2016 também foi menor que o registrado em 2015, 172 e 177, respectivamente.

O diretor-presidente do Detran, António Carlos Gouveia, comemorou a redução e disse que o trabalho de integrado dos órgãos federais e estaduais tem sido muito importante para isso. “Desde que o governo atual assumiu, estamos com trabalho para evitar tragédias e salvar vidas”, ressaltou.

O inspetor Alcântara, da PRF, destacou ainda a redução no número de acidentes (com mortes ou não). Foram 715 acidentes de trânsito em vias estaduais em 2016 e 797 no ano anterior. Nas BRs, o número caiu de 1070 para 941.

Para a PRF, esses números vêm caindo desde 2012. “Trabalhamos com ações que nos direciona para alguns pontos críticos, uma dessas ações é a Operação Roda Vida, que tem atuado muito com relação a acidente de trânsito”, falou.

Apesar da redução do número de acidentes, os dados ainda preocupam em algumas rodovias estaduais. O coronel Túlio, da Polícia Militar de Alagoas, informou que a AL-220 é considerada a mais violenta. Só no ano passado, foram registrados 179 acidentes com 13 mortes.

“Muitos acidentes registrados se devem à quantidade de motocicletas na região de Arapiraca. São imprudências como a falta do uso de capacete e as motos conduzidas por menores”, esclarece o coronel.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

%d blogueiros gostam disto: