Conheça os estudantes e funcionárias da escola que morreram no atentado em Suzano

Dupla matou oito pessoas em escola paulista

Dupla matou oito pessoas em escola paulista | Reprodução / Redes Sociais

Cinco adolescentes e três adultos morreram em decorrência do ataque a tiros em Suzano, cidade na região metropolitana de São Paulo, na manhã desta quarta-feira, 13. Os atiradores Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, primeiro passaram por uma revendedora de carros usados de um tio de Guilherme, Jorge Antonio de Moraes, a primeira vítima da dupla.

Em seguida, eles se dirigiram à Escola Estadual Raul Brasil, onde abriam fogo, vitimando cinco alunos, a coordenadora pedagógica e a inspetora da instituição de ensino. Depois, segundo a polícia, Guilherme atirou em Castro e depois se matou – a dupla tinha apenas um revólver, calibre 38, que estava com Guilherme.

Leia mais: acompanhe a cobertura completa do massacre em Suzano

Outras nove pessoas ficaram feridas e estão hospitalizadas em três unidades de saúde da região.

Saiba quem são as vítimas:

Marilena Ferreira Vieira Umezo, 59 anos: a coordenadora pedagógica era conhecida pela comunidade como querida por todos e com forte ligação com os trabalhos da igreja que frequentava.

Eliana Regina de Oliveira Xavier, 38 anos: Inspetora da escola, era querida pelos alunos.

Marilena e Eliana eram funcionárias da escola / Reprodução: Redes Sociais

Caio Oliveira, 15 anos: ele era conhecido por ser estudioso e tinha muitos amigos.

Samuel Melquiades Silva Oliveira, 16 anos: evangélico, ele era religioso e dizia à família que queria ser artista plástico.

Samuel e Caio Oliveira eram estudantes do Raul Brasil / Reprodução: Redes Sociais

Claiton Antonio Ribeiro, 17 anos: Familiares contam que o estudante era quieto e humilde, sempre preocupado com os pais.

Kaio Lucas da Costa Limeira, 15 anos: era bastante ativo nas redes sociais – em seus perfis, as publicações sobre futebol e seu time do coração, o Santos, eram frequentes.

Kaio e Claiton eram alunos do Raul Brasil / Reprodução: Redes Sociais

Douglas Murilo Celestino, 16 anos: O estudante chegou a ser socorrido, mas morreu a caminho do Hospital de Clínicas Luzia Pinho de Melo. Visto pela família como um garoto bondoso e sem malícia.

Douglas chegou a ser socorrido, mas morreu a caminho do hospital / Reprodução: Redes Sociais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *