Compositor de hits aponta qual será a música do carnaval de Salvador

| Redação Rádio Sampaio


Filipe Escandurras, que criou ‘Lepo, Lepo’ e ‘Tempo de Alegria’, revela seu segredo para uma canção fazer sucesso: ‘Tem que ser fácil de coreografar’.

Falta pouco mais de um mês para o carnaval de Salvador iniciar seus desfiles de trios elétricos, mas a folia na capital baiana já está rolando desde o início do ano com os diversos ensaios dos blocos. . Na  entrevista, Filipe Escandurras, criador de diversos hits, entre eles “Lepo Lepo” (Psirico) e “Tempo de Alegria” (Ivete Sangalo), dá seus palpites de qual será a música mais tocada da época.

“Faço música para tirar um sorriso das pessoas. Quando tenho uma nova composição, canto para minha mãe, meus primos, amigos, e vou vendo a reação deles. O hit precisa ter na letra assuntos que as pessoas estão discutindo. Vou para rua e saio cantando o que ouço das conversas por aí”, conta Escandurras, que, em 2016, foi responsável por oito músicas que foram as mais tocadas na Bahia, entre elas “Descidinha”, do Babado Novo, e “Daquele Jeito”, do Harmonia do samba.

Para 2017, Escandurras não tem apenas uma aposta para o grande hit. E, claro, ele também faz parte da composição de algumas das canções que prometem bombar.

“Tem muita música boa disputando para ser a mais tocada da Bahia. A grande concorrente é ‘O Doce’, de autoria minha e do Gigi Cerqueira, e cantada por Ivete Sangalo. Também aposto na música “O Maganata Faz Oê”, do grupo La Furia. Uma que não é minha, mas sim de compositores amigos é a “Mulher no Poder”, cantada pelo Psirico do Márcio Victor. Também aposto que “Me Libera Nega”, do MC Beijinho, que já é sucesso do verão, também vai explodir no carnaval”, aposta Escandurras.

Existe segredo para se tornar hit?
Mãozinha para um lado, mãozinha para o outro, dá uma reboladinha e uma descidinha. Quando um hit chega ao ouvido do folião, segundo Escandurras, uma coreografia fácil precisa ser pensada para que a música tenha chance se tornar um grande sucesso. Outra coisa apontada pelo compositor é o tempo da música: não pode ser muito longa.

“Se você pegar todas as músicas que fizeram sucesso de verdade na Bahia, vai notar que elas não tem uma duração muito longa. No máximo dois minutos e meio. A letra tem que ser bem curta e ter um refrão forte, que cole. A coreografia também é muito importante. É essencial deixar um espaço para a dança, que aí sim é bem provavel que a música alcance melhor as pessoas”, ensina ele, que além de compor também se apresenta em camarotes na Bahia.

Um pouco mais das apostas de ‘Música do Carnaval’ de 2017:
Dona de diversos hits do carnaval baiano, Ivete Sangalo tem “O Doce” como sua grande aposta de sucesso para a folia em 2017. A cantora apresentou a música pela primeira vez na gravação de seu DVD, “Acústico em Trancoso”. Com o refrão “Ah, vem cá, não tira o doce da boca da sua criança”, Ivete fala de amor de forma divertida e garante uma letra que canta muito beijo na boca.

Outra aposta de hit, a música “Me Libera Nega” surgiu num momento delicado de MC Beijinho. O cantor baiano foi preso em flagrante ao tentar roubar um celular e, no porta-malas da viatura, começou a criar a música. “Me libera nega, deixa eu te amar. Me libera nega, vem pro olodum” conquistou o público baiano e, após os dois dias que o MC ficou em detenção, ele já era famoso na cidade.

E até o bordão “Ma ôeee”, de Silvio Santos, virou refrão na música “O Magnata faz oê”, da banda La Furia. A música tem uma letra bastante repetitiva e pede para o público cantar “oêee” toda vez que uma frase for cantada. “No Estados Unidos até Obama faz… oê” canta o vocalista do grupo, Bruno Magnata.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

%d blogueiros gostam disto: