82 99641-3231

Antônio Quinet traz para Maceió espetáculo Hilda e Freud

No dia 31 de agosto o Teatro Deodoro terá como atração o espetáculo “Hilda e Freud”, escrito por Antônio Quinet, que também assina a direção em conjunto com Regina Miranda e divide o palco com a atriz Juliana Teixeira.

Em tempo, Quinet possui vasto currículo ligado à Psicanálise. É psicanalista,  psiquiatra, doutor em filosofia  e professor em importantes cursos de graduação de mestrado. Tem diversos livros da área publicados e adotados no Brasil. É também dramaturgo, encenador e ator.

A apresentação de Hilda e Freud em Maceió  acontecerá às 21h e os ingressos já estão à venda pelo site www.eventim.com.br, na Livraria Leitura e na Aimê Acessórios.

A peça é baseada em fatos reais. O texto foi inspirado nos escritos e na correspondência de Hilda Doolittle (1886-1961). No espetáculo  os espectadores assistem à trajetória e aos conflitos dessa delicada escritora e sua relação de amor em versos livres, definição de sua relação com seu psicanalista.

Com uma vida afetiva libertária e tumultuada, de uma sensibilidade extrema e melancólica, H.D. fez algumas tentativas de análise até chegar ao divã de Freud. Em março de 1933, desembarcou em Viena e instalou-se num hotel para sessões diárias no divã em que fez sua “grande viagem” com o Professor, o “médico irrepreensível”.

O que se propõe com o espetáculo é  um mergulho no mundo da poeta Hilda  a partir dessas de análise com Sigmund Freud, em plena efervescência da Viena da década de 30 sob a ascensão do Nazismo.  Pode-se afirmar até mesmo que a análise de Hilda com Freud compõe um dos mais importantes testemunhos sobre a prática da psicanálise efetuada por seu fundador.

Em seus escritos, Hilda expõe com detalhes seus encontros no consultório do pai da psicanálise, onde se despe de qualquer censura para reviver seu conturbado passado que resultou em um bloqueio literário.

A vida de uma mulher à frente de seu tempo, dona de um percurso marcado pelos traumas deixados durante a I Guerra Mundial, seus medos, amores, lutas, sonhos e alucinações suscitam em seu analista intervenções geniais que mudam a vida da escritora, além de fortalecer uma relação de forte amizade entre os dois.

Segundo o psicanalista (autor, diretor e ator)  Antonio Quinet, “As pessoas vão ver um Freud em ação de uma forma inimaginável através da visão de uma paciente, e não de seus próprios relatos”.

A peça mescla uma linguagem poética e erudita com projeções contemporâneas que ambientam o expectador na imaginação e no inconsciente dos personagens. A direção de arte e cenografia assinadas por Analu Prestes, transportam o público para o poder evocador dos versos e das imagens poéticas do universo imaginista (movimento literário inglês) do qual Hilda Doolittle foi o símbolo.

A produção dá continuidade à pesquisa “Teatro e psicanálise”, desenvolvida por Antonio Quinet no âmbito do mestrado e doutorado da Universidade Veiga de Almeida, na qual pretende transmitir a psicanálise através do teatro, e assim levar ao público, artisticamente, as descobertas da do inconsciente.

Um breve currículo de Antonio Quinet – Psicanalista, psiquiatra (Université Paris XIII), e doutor em filosofia (Université Paris-VIII). Membro da Escola de Psicanálise dos Fóruns do Campo Lacaniano. Ancien Interne des Hôpitaux de la Region Parisienne, Membro da Associação Brasileira de Psiquiatria. Professor Adjunto do Mestrado de Psicanálise, Saúde e Sociedade da UVA. Pesquisador convidado do Instituto de Psiquiatria da UFRJ.

Docente de Formações Clínicas do Campo Lacaniano – Rio de Janeiro. Diretor da Cia. Inconsciente em Cena (vinculada à pesquisa Teatro e Psicanálise desenvolvida na UVA). Dramaturgo e encenador (“A lição de Charcot”, “X, Y e S – abertura do teatro íntimo de Strindberg”, “Artorquato”, “Oidipous, filho de Laios”, “Variações Freudianas 1: o sintoma”, “O Ato: variações freudianas 2”, “Abram-se os histéricos!” e “Hilda e Freud”). Editor da revista En-je (França).

Formação psicanalítica realizada nos anos 80 em Paris na École de la Cause freudienne. Foi Professor-assistente do Departamento de Psicanálise da Universidade de Paris VIII (Vincennes), defendeu aí sua tese de doutorado em Filosofia com a orientação de Alain Badiou.

Autor dos livros “Teoria e clínica da psicose” (5ª ed., Forense Universitária),“Artorquato” (Editora 7Letras), “X, Y e S – abertura do teatro íntimo de Strindberg”, “Oidipous, filho de Laios”, “Variações Freudianas 1: o sintoma”, “O Ato: variações freudianas 2” e “Hilda e Freud” (Editora Giostri). Em sua coleção própria na Editora Zahar publicou: “As 4+1 condições da análise” (13ª ed.), “A descoberta do inconsciente” (4ª ed.), “Um olhar a mais” (2ª ed.), “A lição de Charcot”, “Psicose e laço social” (2ª edição), “A Estranheza da Psicanálise: a Escola de Lacan e seus analistas”, “Édipo ao pé da letra” e na coleção Passo a passo, na mesma editora, “Os outros em Lacan”. Além disso no exterior “Las condiciones del analisis” (Atuel, Argentina), “Psicosis y lazo social” e “Hilda y Freud la Laguna Creativa” (Letra Viva, Argentina), “Hilda and Freud Collected Words” (Karnac – Londres) e “Un plus-de-regard” (Editions du Champ Lacanien, França – esgotado, no prelo como livro de bolso pela Editora Erès).

Co-autor e organizador das coletâneas “Jacques Lacan: a psicanálise e suas conexões” (Imago), “Extravios do desejo – depressão e melancolia”, “Psicanálise e psiquiatria – controvérsias e convergências” e “Na mira do Outro – a paranoia e seus fenômenos” (Marca d’Água Liv. e Ed.) e “As Homossexualidades na Psicanálise na história de sua despatologização” (Segmento Farma); autor de artigos publicados em revistas e livros na Argentina, Austrália, Brasil, Colômbia, Espanha, Estados Unidos, França, Grécia, Inglaterra. Tradutor de Lacan no Brasil, foi responsável pelas versões dos Seminários 2 e 7 e de Televisão, além de outros artigos. Profere conferências e seminários em diversos países e cidades no Brasil.

Hilda e Freud – com Antonio Quinet e Juliana Teixeira

Teatro Deodoro

31 de agosto

21h

 


Homem é alvo de pauladas e tem R$ 34 mil levados por bandidos em Arapiraca

Hospital de Emergência Dr. Daniel Houly, Arapiraca

Um homem foi agredido a pauladas e ainda teve a quantia de R$ 34 mil levada pelos bandidos na noite dessa quarta-feira (15), na zona rural de Arapiraca, no Agreste do estado. Osvaldo Cavalcante de Farias, de 32 anos, foi socorrido até o Hospital de Emergência do Agreste (HEA) Dr. Daniel Houly.

Segundo informações do relatório do 3º Batalhão, militares foram acionados para dar apoio ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que socorria a vítima na Vila São Francisco.

A própria vítima relatou à polícia que voltava do centro da cidade, quando foi abordada por dois homens em uma motocicleta, com características não informadas, ambos portando arma de fogo. Eles anunciaram o assalto e exigiram da vítima a quantia de R$ 34 mil em espécie.

Ainda durante a ação, os autores agrediram a vítima a pauladas, que foi socorrida até o Hospital de Emergência, ainda consciente.

Buscas foram feitas pela polícia, mas nenhum dos suspeitos foi localizado. A polícia orientou a vítima a noticiar o fato através de um Boletim de Ocorrência (BO) em desfavor dos criminosos.


Bandidos rendem idoso de 82 anos e roubam R$ 20 mil

Dois criminosos invadiram uma residência no Centro de Feira Grande, Alagoas, renderam um idoso de 82 anos e roubaram cerca de R$ 20 mil em espécie, na manhã de quarta-feira (15). Após o roubo, os ladrões fugiram do local sem deixar pistas.

Uma guarnição do Grupamento de Polícia Militar foi acionada e esteve no local. Os policiais ainda realizaram rondas nas imediações, entretanto os suspeitos não foram encontrados.

A vítima foi orientada a procurar a Central de Polícia Civil para fazer o Boletim de Ocorrência.

Qualquer denúncia pode ser realizada através do 181 ou 190 – o sigilo é garantido pela Segurança Pública de Alagoas.


PM evita suposta tentativa de homicídio contra cliente de academia e prende suspeito em Arapiraca

A Polícia Militar recebeu a informação, por meio de denúncia, de que em frente a uma academia de ginástica havia um homem armado à espera de um frequentador do estabelecimento para, supostamente, atentar contra sua vida.

De acordo com informações da polícia, o suspeito, identificado como Rafael Alves, entrou por diversas vezes no estabelecimento à procura de um homem chamado Júnior. Assustados, clientes informaram o fato ao Copom, que, imediatamente, enviou uma guarnição de Força Tarefa (FT-22) ao local, na Rua Santa Rita, bairro Brasília, em Arapiraca, e evitou que o pior pudesse acontecer.

O suspeito foi flagrado pelos militares portando uma arma de fogo calibre 38. Ele foi encaminhado pela guarnição até a Central de Polícia Civil, no bairro Baixão, para os devidos procedimentos.


Operação prende suspeitos de crimes em cumprimento a 21 mandados em Alagoas

A Polícia Civil de Alagoas (PC/AL) prendeu dezenas de pessoas, nesta quinta-feira (16), em operação de cumprimento a 21 mandados ocorrida simultaneamente em bairros de Maceió e nos municípios de Marechal Deodoro, Rio Largo, Paripueira e Santa Luzia do Norte, na região metropolitana.

Os mandados de prisão, que foram expedidos por varas criminais diferentes, são por crimes de homicídio, tentativa de homicídio, latrocínio e roubo a residência.

Cerca de 120 policiais, que estão divididos em várias equipes táticas, e 14 delegados participam da força-tarefa.

De acordo com a delegada Ana Luiza Nogueira, gerente de Polícia Judiciária (DPJ1), esse tipo de ação é feita rotineiramente e “tem dado resultado”. “A cada um ou dois meses, fazemos essas operações com o objetivo de cumprir mandados de prisão recentes e evitar que autores de infrações graves cometam outros ilícitos, além de diminuir o sentimento de impunidade”, explicou Ana Luiza.

Todos os presos são conduzidos para o Complexo de Delegacias Especializadas (Code), no bairro de Mangabeiras, em Maceió.


Suspeito da morte de Neguinho Boiadeiro se apresenta à polícia

Um dos suspeitos de envolvimento na morte do vereador Adelmo Rodrigues, o Neguinho Boiadeiro, do município de Batalha, na região da Bacia Leiteira de Alagoas, se apresentou na Delegacia Geral da Polícia Civil, nesta quarta-feira (15).

Maiquel Alves da Silva estava na companhia de um advogado quando se entregou. O suspeito que se apresentou nesta quarta é apontado na autoria material do crime, ocorrido em novembro do ano passado.

De acordo com a advogada Mabylla Louriato Ferreira, da família dos Boiadeiros, a prisão do Maiquel já era esperada, que já havia sido preso por 30 dias pela mesma acusação. “A polícia precisa revelar a autoria material do crime”, cobra a advogada.

O inquérito policial que apura o assassinato do vereador de Batalha foi presidido pelo delegado Cícero Lima. O levantamento feito pela Polícia Civil não aponta a autoria intelectual do crime.

O assassinato ocorreu em novembro do ano passado, no Sertão alagoano. Em fevereiro, uma operação desencadeada no Agreste alagoano cumpriu mandados de prisão, busca e apreensão contra suspeitos de envolvimento na morte do vereador.

À época, foram presos Alex Sandro Pinto, que também era vereador no município sertanejo, Rafael Pinto, sobrinho de Alex Sandro, e ainda Maiquel Silva

Segundo ele, dois meses antes, os assassinos de Boiadeiro roubaram, na Cruz das Almas, em Maceió, o veículo que teria sido usado no crime.

Já na semana do assassinato, ainda segundo a polícia, uma empresa de fachada iniciou um serviço de panfletagem nas proximidades da Câmara de Vereadores de Batalha. O objetivo, segundo o delegado, era mapear a região e monitorar a rotina do vereador, abrindo caminho para a trama criminosa.


Rua José e Maria Passos, nº 25 - Centro - Palmeira dos Índios - AL.

Redes sociais


Facebook

Whatsapp: 82 99641-3231

Fale conosco


82 99641-3231

© 2018 Rádio Sampaio - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Interactive MOnkey