82 99641-3231

Alagoanos são vítimas de clonagem de placas de veículos

Detran já registrou 67 casos envolvendo veículos registrados no estado.
Recomendação é que vítima faça boletim de ocorrência e avise ao Detran.

Ter a placa do carro ou da moto clonada pode dar uma dor de cabeça extrema para a vítima que tem que provar que não é o criminoso. Só no ano passado, 67 processos deste tipo de caso foram registrados em Alagoas.

Depois de receber duas multas do estado de Pernambuco, o representante comercial Charles Costa percebeu que o carro dele tinha sido clonado. Primeiro porque ele não estava no lugar da infração no dia que é citado no documento. Segundo, porque o carro que aparece na foto da multa tem algumas diferenças em relação ao dele.

“Pela foto no documento a placa do veículo multado é igual à do meu carro, mas há diferença nos veículos, a exemplo do jogo de rodas e da tampa da mala”, relata.

Diante da situação, Charles foi em vários órgãos ligados ao trânsito para prestar queixa, mas tem medo de ser surpreendido. “Temo que alguém que esteja fazendo uso dessa placa faça mais coisa errada, se envolva em um acidente ou com outros crimes, e depois a polícia venha na minha porta” diz Charles.

Um outro homem que não quer se identificar passa pela mesma situação. Já são dois anos recebendo multas de outros estados. “Já paguei R$ 2 mil de multa e me sinto prejudicado e injustiçado”.

Uma foto do Departamento de Trânsito (Detran) mostra um carro, no trânsito, do mesmo modelo e com a mesma placa de outro que está parado numa rua de Arapiraca. Situações como essa tem se tornado frequente.

No ano passado foram emplacadas mais de 35 mil carros em Alagoas e 67 motoristas abriram processos administrativos no Detran por suspeita de clonagem. No entanto, esse número pode ser ainda maior porque existem os casos que não são registrados.

Detran
O presidente do Detran em Alagoas, Antônio Carlos Gouveia, disse que 30 das 40 empresas que atuam no estado na fabricação de placas estão irregulares, com dívidas na prefeitura e na Receita Federal. Ele também conta que existe muita facilidade para se comprar placa.

Por causa disso, as fiscalizações nas lojas serão intensificadas e já existe um projeto para que o Detran acompanhe tudo mais de perto.

“O Detran não sabe como as placas estão sendo confeccionadas porque hoje qualquer usuário ou condutor vai na loja e resolve a feitura. Por isso, queremos que o Detran regule e fique sabendo quantas placas estão sendo feitas”, conta o presidente do órgão.

Quem tiver a placa de veículo clonada precisa fazer um boletim de ocorrência e comunicar o fato ao Detran.


Deputado alagoano defende nova Constituinte contra crise institucional

Dep. Ronaldo Lessa (PDT/AL), quer eleitos de 2018 alterando a Constituição.

Ronaldo Lessa, Deputado Federal

O coordenador da bancada alagoana no Congresso Nacional, Ronaldo Lessa (PDT-AL),  em entrevista defendeu a instalação de uma nova Assembleia Constituinte no Brasil como solução para os conflitos entre os poderes constituídos que, em sua opinião, têm complicado o país.

Ex-governador de Alagoas, Ronaldo Lessa disse que apresentará a proposta para que deputados federais e senadores eleitos em 2018 façam parte do novo Congresso Constituinte, caso as reformas política, tributária e previdenciária não garantam benefícios para os brasileiros. O deputado é crítico do impeachment da ex-presidente Dilma Roussef e foi além da proposta da petista, que sugeriu em 2013 um plebiscito sobre a convocação de uma Constituinte exclusiva para a reforma política.

Na mesma entrevista, concedida ao programa Super Manhã, na Rádio AM 1020, Lessa criticou a proposta de reforma previdenciária apresentada pelo presidente Michel Temer (PMDB), disse que a proposta das Dez Medidas contra a Corrupção continha uma tentativa do Ministério Público Federal (MPF) de instalar um “Estado fascista” e apontou o sistema tributário brasileiro como grande incentivador da sonegação e da corrupção.

“Muita gente está criticando que brasileiro só quer saber de carnaval. E não é verdade. Nas horas necessárias o brasileiro soube ir à luta, a juventude soube responder, tem consciência. E eu espero que esse brasileiro saiba fazer isso agora, reagindo à questão da previdência, lutando por isso. E tenho outra proposta ainda: Se essas reformas não derem certo, estou entrando com um pedido para que o próximo Congresso seja constituinte. Porque aí o eleitor vai saber que ele vai fazer uma nova Constituição. Ou seja, reformar essa que está aí e acabar com essa crise institucional entre o Judiciário, o Executivo e o Legislativo, que tem complicado o País”, disse Ronaldo Lessa, ao repórter Fábio Atual.

Lessa propõe uma nova Assembleia Constituinte para alterar a Constituição de 1988, por ver a interferência entre os poderes como complicador para o Brasil. “Vez por outra você vê: um toma uma medida, o outro vai e desfaz; o outro toma medida, outro vai e desfaz. E fica um querendo invadir a área do outro. Eu vou propor modernizar, atualizar e simplificar. Pelo menos a minha proposta é essa”, resumiu.

Uma Assembleia Constituinte é dotada de plenos poderes, para propor uma reforma ou a criação de uma nova Carta Magna, a ordem político-institucional de um Estado. Ela é composta a partir da eleição de representantes específicos para este fim e diluída após a conclusão dos trabalhos.

Em dezembro de 2016, os deputados Rogério Rosso (PSD-DF) e Miro Teixeira (Rede-RJ) defenderam a convocação e a instalação de uma Assembleia Nacional Constituinte a partir do mês de fevereiro passado, para que decidisse, preferencialmente, sobre reformas política e eleitoral. Mas o projeto não avançou além do relatório de conferência das assinaturas.

PREVIDÊNCIA

Ao opinar sobre as reformas em andamento, Lessa considera a previdenciária como a mais grave, um absurdo que não passa pelo Congresso, por não ter sustentação. “Os próprios partidos do governo terão uma defecção grande. A resistência no Senado é muito grande. E agora está uma abertura, inclusive, de uma CPI. Vamos resistir. Não é justo isso com o brasileiro”, afirma.

O deputado alagoano concorda que a Previdência precise ser modificada, aumentando a longevidade, mas não no patamar proposto pelo governo Temer, que, segundo Lessa, não estaria apresentando números verdadeiros. E defende uma revisão na dívida.

“O déficit que ele apresenta é porque eles tiram 30% das receitas da previdência para a DRU [Desvinculação das Receitas da União]. Não corresponde à realidade. Precisamos fazer isso com calma, devagar, com os números corretos, fazendo uma auditoria nessa dívida, que o dinheiro de 47% do orçamento deste País é para os juros dessa dívida. Isso tem que ser feito e ser dito à população.

Lessa é titular das comissões que analisam propostas da Reforma Tributária, do Pacto Federativo e da PEC da criação de uma Zona Franca no Semiárido Nordestino.


CRM flagra médico atuando sem licença e proíbe venda casada

Oftalmologista ofertava consultas populares, mas condicionava gratuidade à compra de óculos fornecidos por ótica de Goiânia-GO

Um médico oftalmologista natural de São Paulo foi flagrado pelo Conselho Regional de Medicina (Cremal), na manhã desta segunda-feira (6), no município de Murici, atuando sem licença em Alagoas. De acordo com o Cremal, o médico também é suspeito de promover a denominada “venda casada” durante as consultas que vinha ofertando, gratuitamente, aos pacientes. Mais dois médicos que fariam parte do suposto esquema investigado pelo Conselho não foram localizados.

Ao chegar ao local apontado por uma paciente, a fim de apurar a veracidade da denúncia, a equipe de fiscalização do Cremal identificou a prática irregular e ordenou que esta fosse encerrada. Na oportunidade, o CRM concluiu que os exames oftalmológicos eram limitados, sendo executados somente com máquinas destinadas à medição do grau – no caso de comprovada miopia, por exemplo -, sem detectar outra eventual imperfeição.

Ainda de acordo com o Conselho Regional de Medicina, os médicos realizavam as consultas e exames de vista gratuitamente, no Centro de Diagnóstico de Murici. No entanto, o grupo ”obrigava” os pacientes a comprarem óculos de uma ótica conveniada, com sede em Goiânia-GO, o que configura a venda casada – segundo o Código de Defesa do Consumidor. Cada exemplar, segundo o CRM, custa, em média, R$ 600,00.

Denúncia

Segundo o presidente do Conselho, Fernando Pedrosa, as investigações tiveram início após um paciente comprar um óculos ofertado pelos médicos, em Marechal Deodoro, e que não corrigiu sua visão, razão pela qual resolveu não pagar pelo objeto. “Após negar o pagamento, o paciente começou a ser ameaçado pelo grupo de médicos”, revelou Pedrosa, acrescentando que os profissionais já atuavam em Alagoas há pelo menos três meses, já tendo passado por oito municípios.

Após ter sido notificado, o médico e a equipe que representa a ótica em Alagoas – que funcionava em frente ao centro de diagnóstico e cujo alvará é temporário – retiraram os equipamentos do local e encerraram as atividades no município da Zona da Mata. O médico suspeito deve responder administrativamente pela infração junto ao Conselho Federal de Medicina.


Botulismo pode ter causado morte de rebanho no Agreste, diz veterinário

Apesar da suspeita, material coletado está em análise fora do estado; ao todo, 12 cabeças foram perdidas

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

O veterinário Wyrlanilson Luiz, chefe da Unidade Local de Sanidade Animal e Vegetal (Uslave), vinculada à Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal), informou à Gazetaweb, na manhã desta segunda-feira (6), que a doença misteriosa causadora da morte de gados no Agreste pode ser botulismo. A suspeita recaiu após uma análise feita no rebanho.

O surto da doença começou durante o carnaval, em duas fazendas localizadas nos Sítios Pau d`Arco e Bálsamo, na zona rural de Arapiraca, onde os animais amanheceram doentes, debilitados e sem vontade de se alimentar. Com três dias, morreram.

Na primeira fazenda, o proprietário perdeu sete cabeças na festa de Momo e uma logo após este período. Já na segunda, o criador lamentou a morte de quatro animais. Surgiu uma informação de que o município de Feira Grande teria sido afetado, mas, segundo o veterinário, foi “apenas boato”.

“Fizemos análises no rebanho morto da primeira fazenda, onde houve mais ocorrências. Pelas características da doença, pode ser botulismo, ou seja, a ingestão de toxinas produzidas por uma bactéria, causando paralisia e dificuldade de respirar, acarretando a morte do gado. Porém, como não podemos atestar, o material coletado do rúmen (parte do estômago), intestino e fígado foi levado a um laboratório em outro estado para se descobrir a causa real das mortes”, explicou o veterinário, informando não saber quando sairá o resultado.

Como o gado ainda não tinha sido vacinado contra botulismo, os criadores foram orientados a vacinar o rebanho para evitar outras ocorrências. Enquanto isso, os veterinários da Adeal ficam acompanhando a situação dos animais no interior de Alagoas.

“Não recebemos nenhum chamado posterior. Esperamos que o quadro se reverta. Vamos aguardar o resultado para tomar outras medidas, se possível”, reforçou Luiz.

A DOENÇA

O botulismo é uma doença/intoxicação causada pela ingestão e absorção intestinal de toxinas produzidas pelo Clostridium botulinum, uma bactéria, bastonete anaeróbio, formador de esporos, que acomete diferentes espécies, inclusive o homem. O botulismo bovino, também conhecido como “doença da vaca caída”, ocorre em diversas regiões do país.

O Clostridium botulinum pode permanecer no solo e em matéria orgânica, por longos períodos, em sua forma resistente – os esporos – sem causar doença. Porém, quando encontram um ambiente favorável de anaerobiose, ou seja, sem oxigênio, os esporos germinam e produzem neurotoxinas. Após absorção pelo trato intestinal, as toxinas se ligam a receptores de terminações nervosas, resultando em paralisia flácida e morte do animal em virtude de parada respiratória.

O animal com botulismo tem dificuldade para se locomover devido à paralisia dos membros posteriores, que pode evoluir para os membros anteriores, permanecendo a maior parte do tempo deitado. Com a evolução da doença, o animal não consegue mais levantar-se e tem paralisia dos músculos da mastigação.

Nas fases mais adiantadas da doença, o animal apresenta dificuldade para respirar, em consequência da paralisia flácida progressiva dos músculos esqueléticos pela ação da toxina, embora apresente estado mental e sensorial normal. A morte do animal é precedida por coma seguido de insuficiência e parada respiratória.


Parcela do IPVA para veículos de placas com finais 3 e 4 deve ser paga até fim do mês

Contribuintes devem quitar o imposto até o dia 31 de março; débitos retroativos podem ser parcelados em até seis vezes

 
 

Iniciado no mês passado pela Secretaria de Estado da Fazenda de Alagoas (Sefaz/AL), o calendário do IPVA 2017 segue agora para a segunda rodada de pagamentos. Proprietários de veículos automotores e motocicletas com placas de finais 3 e 4 podem quitar a primeira parcela do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores, ou pagá-lo por completo até o dia 31 de março.

As guias do IPVA, assim como as taxas do Detran, são encaminhadas aos endereços dos contribuintes até a data do vencimento. Quem quiser agilizar todo o processo pode solicitar a emissão dos boletos de duas formas. Dirigindo-se até a unidade da Sefaz em Jacarecica ou acessando o sistema do IPVA disponível no site da secretaria.

De acordo com a nova legislação da Sefaz/AL, os alagoanos agora podem parcelar em até seis vezes os débitos retroativos do imposto. A solicitação pode ser feita presencialmente em uma das centrais de atendimento Já!. É necessário portar identidade, CPF, comprovante de residência, CRLV – Porte Obrigatório e CRV – Recibo de transferência. No sistema online, basta acessar a aba “anteriores” e verificar as pendências listadas.

Isenção
Motocicletas de até 50 cilindradas, táxis, veículos de propriedade de deficientes visuais, mentais e autistas, além de motocicletas utilizadas no transporte de passageiros e veículos de transporte complementar e intermunicipal, são isentos do pagamento do imposto, segundo a Lei nº 7.862/2016.

Mais informações você encontra na Cartilha IPVA 2017. Elaborada pela Sefaz/AL, o material te ajuda a entender como o imposto é calculado e apresenta detalhes sobre descontos, prazos e alíquotas em Alagoas.

PRAZOS
28/04/2017 – Placas de final 5 e 6
31/05/2017 – Placas de final 7 e 8
30/06/2017 – Placas de final 9 e 0

Fonte: Redação, com assessoria


Operação Lei Seca conta com lombada portátil para reduzir velocidade de condutores

Por uma nova Alagoas, salvar vidas e promover a mudança de comportamento é uma das principais missões da atual gestão do Departamento Estadual de Trânsito de Alagoas (Detran/AL). Com esse propósito e durante o período de pós-carnaval, a equipe Lei Seca permanece intensificando cada vez mais as abordagens em parceria com a Polícia Militar, e a partir de agora contará com o auxílio de uma lombada portátil para reduzir a velocidade dos condutores que serão abordados.

Na noite dessa sexta-feira (3), a operação que tem o intuito de diminuir o índice de acidentes ocasionados por alcoolemia, foi montada em dois pontos estratégicos da capital, no bairro da Jatiuca e no bairro do Farol, com o apoio da equipe do Serviço de Inteligência do Detran/AL.

 

De acordo com o coordenador da operação Lei Seca, tenente Emanuel Costa, a operação foi marcada pelo uso de uma lombada portátil, que a partir de agora será utilizada para alertar os condutores que serão abordados na blitz. “Nós iremos utilizar esse redutor de velocidade, justamente para proporcionar mais visibilidade e também mais segurança para nós agentes de trânsito”, destacou.

Na operação, 322 veículos foram abordados e seus condutores revistados, 342 pessoas foram submetidas ao teste do etilômetro, 10 condutores fizeram a recusa, três medidas administrativas foram registradas, oito veículos foram removidos para o pátio do Detran/AL e três pessoas foram presas em flagrante.

Além de infrações referentes à Lei Seca, sete pessoas inabilitadas foram abordadas conduzindo veículos, 50 infrações foram lavradas por motivos diversos, 16 Carteiras Nacionais de Habilitação (CNHs) foram recolhidas.


Rua José e Maria Passos, nº 25 - Centro - Palmeira dos Índios - AL.

Redes sociais


Facebook

Whatsapp: 82 99641-3231

Fale conosco


82 99641-3231

© 2018 Rádio Sampaio - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Interactive MOnkey