82 99641-3231

Foragido acusado de estupro é preso pela PRF

Um homem de 58 anos acusado de estupro foi preso nesta segunda-feira, dia 17, por agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF). O suspeito, que era procurado pela Justiça de Sergipe pelo crime de estupro foi abordado na BR 101, conduzindo um caminhão. Após consultas os policiais constataram que havia um mandado de prisão em seu desfavor.

A prisão ocorreu no final da manhã quando policiais rodoviários federais fiscalizavam um trecho da BR101, em São Miguel dos Campos, e pararam um caminhão Mercedez Benz L1518, de cor azul.

Durante consulta à identidade do proprietário e condutor do veículo foi observado que havia um mandado de prisão expedido pelo Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher da Comarca de Aracaju/SE. Ao questionar o abordado sobre o crime, ele afirmou que estava ciente que era procurado pela justiça daquele estado desde junho de 2016.

O foragido foi preso e encaminhado para a Delegacia de Polícia Civil de São Miguel dos Campos.

*Com assessoria


Palmeira dos Índios é uma das cidades com mais denúncias de crime eleitoral

O pleito eleitoral se aproxima e, com ele, surge mais um direito além do voto, que é a denúncia, seja ela feita pessoalmente ou de maneira online, através de plataformas disponibilizadas pelos órgãos responsáveis por fiscalizar candidatosou julgar crimes de cunho político. Até essa sexta-feira (13), o Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE/AL) havia registrado mais de 50 denúncias durante a campanha eleitoral, relacionadas a diversos ilícitos, a exemplo de compra de votos.

Conforme consta na plataforma chamada “Pardal – denúncias eleitorais”, disponibilizada no site www.tre-al.jus.br, nota-se que as denúncias envolvem não somente a tipificação “crimes eleitorais”, mas também, compra de votos, propaganda eleitoral e uso irregular da máquina pública.

O gráfico estatístico revela que 51% das denúncias contemplam propaganda eleitoral ilegal, 27% delas abarcam uso da máquina pública, 9% são relativas a crimes eleitorais, 7% a outras irregularidades não especificadas no relatório, e 5% relacionadas à compra de votos.

O Pardal mostra 18 cidades alagoanas onde teriam ocorrido possíveis práticas ilegais de campanha. De maneira disparada, o gráfico aponta a capital, seguida pela cidade de Porto de Pedras. Logo após, seguem empatados os municípios de Arapiraca, Piranhas, Pindoba e Palmeira dos Índios. Atrás desses, aparece a cidade de Barra de Santo Antônio e, posteriormente, os municípios de Tanque D`Arca, Santana do Ipanema, Lagoa da Canoa, Junqueiro, Jequiá da Praia, Igaci, Estrela de Alagoas, Delmiro Gouveia, Campo Grande, Cajueiro e Anadia.

No total, haviam sido contabilizadas 55 denúncias até o final da manhã de sexta-feira. O número deve aumentar, levando-se em conta a aproximação das eleições. A assessoria de comunicação do TRE salientou, no entanto, que a plataforma fica aberta aos eleitores permanentemente.

“Ela é uma ferramenta própria para denúncias e que está disponível o ano inteiro para a população, com a real situação de Alagoas e outros estados, já que o espaço virtual é vinculado ao Tribunal Superior Eleitoral [TSE]”, explicou a assessora Flávia Gomes de Barros.

MP ELEITORAL

A procuradora regional eleitoral, Raquel Teixeira, explica sobre o destino dado às denúncias no âmbito da Corte. “Se houver indícios de que aquela prática é uma conduta vedada, nós instauramos uma notícia de fato para ser iniciada a investigação”.

Raquel explica, ainda, que a denúncia também pode ser feita pessoalmente, na Comarca do município onde o eleitor reside. “Se o cidadão está no interior e ele sabe daquela prática naquela região, ele pode se dirigir à zona eleitoral e fazer aquela denúncia lá mesmo. Só ter cuidado para não fazer denúncias infundadas, pois ele pode responder pelo crime de denunciação caluniosa”.

PF ATUA NA INVESTIGAÇÃO DOS CRIMES

A Polícia Federal (PF) também recebe denúncias, mas atua como Polícia Judiciária Eleitoral. Segundo a delegada chefe de Defesa Institucional da PF, Fabíola Prado Piovesan, a polícia está de prontidão para “atender o protagonista da eleição”. “Estamos à disposição da Justiça Eleitoral, apurando as denúncias de crimes que forem encaminhadas para a PF”, expôs a delegada.

Por outro lado, a Procuradoria Regional Eleitoral em Alagoas informou não ter recebido nenhuma denúncia desde o início do período eleitoral, ou seja, dia 15 de agosto.

“As denúncias provavelmente estão sendo feitas nas zonas eleitorais pelo aplicativo Pardal, do TSE, que podem ser encaminhadas diretamente à PF ou a promotores eleitorais nas comarcas, conforme o caso. Os promotores estão orientados a autuar as representações e instruí-las para posterior remessa à PRE ou à PGE, conforme o âmbito da eleição (estadual/federal – TRE; presidencial – TSE)”, explicou a assessoria.

OAB TAMBÉM PODE RECEBER DEMANDAS

Também procurada pela reportagem, a Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Alagoas (OAB/AL) afirma que não recebeu nenhuma denúncia até o momento. O presidente da Comissão de Combate à Corrupção Eleitoral, Aldemar de Miranda Motta Júnior, informou que meras denúncias sem quaisquer provas não podem ser levadas adiante.

“Até agora, nenhuma denúncia chegou à Ordem. Mesmo assim, disponibilizamos os canais para o eleitor, se assim o desejar, como os links ccce@oab.al.org.br e www.oab-al.org.br/#/oab/contato/denuncia-eleitoral, ou através dos telefones (82) 3028-2558 e (82) 99176-4952, ou então pelo atendimento presencial no prédio antigo da OAB, no Centro da cidade, das 8h às 12h e 14h às 17h”, orientou Aldemar.


Cel. Wanderlei assume comando da Polícia Militar de Pameira e defente união contra o crime

Cel Vanderlei, comandante do 10º Batalhão de Polícia Militar de Palmeira dos Índios (Foto: Cayo César)

Cayo César

Na manhã desta terça-feira, 11, o comando do 10º Batalhão de Polícia Militar recebeu o novo comandante que estará a frente dos trabalhos da tropa na região. O comandante é o Cel. Marcos Vinicius Wanderlei que está há 27 anos na Polícia Militar, o comandante Cel. Wanderlei tem um longo currículo a frente de batalhões, entre eles, o batalhão de Santana do Ipanema, Arapiraca e do 1º Batalhão de Maceió concedeu uma entrevista exclusiva para equipe da Rádio Sampaio e falou um pouco dos planos que traz para o município de Palmeira dos Índios.

 

Cel. Wanderlei foi enfático em afirma que para o desenvolver da segurança pública no município é preciso uma união de órgãos governamentais e da população. Quando questionado sobre o trafico de drogas na região o comandante afirmou que “Vamos atacar o fornecedor e não as vitimas, e essas vitimas somos todos nós” e completou ” o bem maior é a vida e temos que defender a vida”.

 

O comandante ainda falou sobre as dificuldades do serviço público “Não podemos esmorecer diante das dificuldades e nem dizer que não vamos fazer. Nós vamos fazer!” Cel. Wanderlei ainda afirmou que para o bom funcionamento é preciso três pilares: efetivo, inteligência e tecnologia e para obter isso precisamos da união, ” a inteligência é a informação, a denuncia feita pelo cidadão”.

 

O 10º Batalhão de Polícia Militar conta com tropas formadas pela Força Tarefa de Segurança, Pelopes, Rádio Patrulha, Rocam e atendem cerca de 10 municípios ao seu entorno.


Ex-governador do Paraná, Beto Richa é preso

Ex governador e candidato ao senado, Beto Richa (PSDB)

O ex-governador do Paraná Beto Richa, candidato ao Senado pelo PSDB, foi preso na manhã desta terça-feira pelo Gaeco em Curitiba, no Paraná.

Beto Richa é alvo de duas operações: uma realizada pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR), pela qual foi preso, e outra da Polícia Federal (PF), em uma nova fase da Lava Jato. Na 53ª etapa da Lava Jato, a casa de Beto Richa foi alvo de mandado de busca e apreensão.

A defesa de Beto Richa informou, por meio de nota que, até agora não sabe qual a razão das ordens judiciais e que ainda não teve acesso à investigação.

O G1 entrou em contato com a assessoria de comunicação do PSDB para questionar como fica a candidatura de Beto Richa, porém, até a última atualização desta reportagem, o partido ainda não tinha se manifestado.

Na última pesquisa Ibope, divulgada em 4 de setembro, Beto Richa aparecia em segundo lugar – com 28% da intenção de votos.

Beto Richa e Fernanda Richa foram presos pelo Gaeco no prédio onde moram, em Curitiba (Foto: Tarcisio Silveira/RPC) Beto Richa e Fernanda Richa foram presos pelo Gaeco no prédio onde moram, em Curitiba (Foto: Tarcisio Silveira/RPC)

Beto Richa e Fernanda Richa foram presos pelo Gaeco no prédio onde moram, em Curitiba (Foto: Tarcisio Silveira/RPC)

Veja quem mais foi preso pelo Gaeco:

  • Fernanda Richa – esposa de Beto Richa e ex-secretária da Família e Desenvolvimento Social
  • Deonilson Roldo – ex-chefe de gabinete do ex-governador
  • Pepe Richa – irmão de Beto Richa e ex-secretário de Infraestrutura
  • Ezequias Moreira – ex-secretário de cerimonial de Beto Richa
  • Luiz Abib Antoun – parente do ex-governador
  • Edson Casagrande – ex-secretário de Assuntos Estratégicos
  • Celso Frare – empresário da Ouro Verde

As prisões são temporárias, com validade de cinco dias. Ao todo, são 15 mandados de prisão.

A investigação do Gaeco é sobre o programa Patrulha do Campo, que faz a manutenção das estradas rurais. A operação foi batizada de “Rádio Patrulha”.

Com exceção de Antoun, detido em Londrina, no norte do Paraná, os demais foram presos em Curitiba. Deonilson Rodo é réu na Lava Jato e também foi alvo de prisão da PF.


Mais de 100 detentos fogem de presídio de segurança máxima

Pessoas que moram perto da cadeia começaram a ouvir disparos e uma explosão pouco depois da meia-noite. De acordo com informações da PM, cerca de 20 homens chegaram em quatro carros e dispararam várias vezes contra as guaritas, o alojamento e o portão principal, que foi derrubado após uma explosão. Houve troca de tiros entre os bandidos e policiais militares e agentes prisionais.

Em outra ação, que acontecia no mesmo momento, um grupo fechou a rodovia estadual PB-008. Um tenente da PM, de 36 anos, que tentava combater a ação, foi baleado na cabeça e levado ao Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa. Segundo o boletim do hospital, o tenente Moneta segue internado em estado de saúde grave.

A Polícia Civil investiga o caso e as primeiras informações apontam que o objetivo do ataque ao presídio PB1 era resgatar quatro homens que foram presos no mês passado em Lucena, na região metropolitana de João Pessoa, após um ataque a um carro-forte.

Eles são acusados de integrar uma quadrilha que atua em todo o país na explosão de caixas eletrônicos e carros-fortes.

Aulas canceladas
De acordo com o prefeito da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), foram canceladas as aulas do Centro de Informática (CI) e do Centro de Tecnologia e Desenvolvimento Regional (CTDR), localizados no campus do bairro de Mangabeira, em João Pessoa. As atividades do Núcleo de Processamento de Alimentos (NUPPA) e do Laboratório Interdisciplinar de Ensino, Pesquisa e Extensão (LIEPE), na mesma unidade, também foram suspensas.

O prefeito explicou que a decisão da suspensão aconteceu para reforçar a segurança na universidade, já que o campus fica localizado em uma área de mata.


Homem é preso após agredir e ameaçar de morte mãe e esposa

Um homem foi preso acusado de agredir e ameaçar de morte a própria mãe e a esposa na noite deste domingo, 9. A prisão e a agressão ocorreu no Sítio Caraíbas Dantas, na cidade de Estrela de Alagoas, no agreste alagoano.

As informações do 10º Batalhão de Policiamento Militar dão conta que Gênesis Santos da Rocha, 28 anos, foi detido em flagrante delito e conduzido para a Delegacia Regional de Palmeira dos Índios, onde permanece detido a disposição da justiça.

É da polícia a informação de que a esposa da vítima, que teve a sua identidade preservada, relatou que o acusado estava agredindo e ameaçando a mãe e quando foi intervir foi agredida e ameaçada também.


Rua José e Maria Passos, nº 25 - Centro - Palmeira dos Índios - AL.

Redes sociais


Facebook

Whatsapp: 82 99641-3231

Fale conosco


82 99641-3231

© 2018 Rádio Sampaio - Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Interactive MOnkey