O corpo da jovem Débora Isis Mendes de Gouveia, de 18 anos, foi sepultado na manhã desta quarta-feira (15), no cemitério do povoado Cachoeira, no município de Rio Largo, na região metropolitana de Maceió.

Débora foi encaminhada para o Hospital Ib Gatto Falcão, em sua cidade, após contrair virose. Após complicações em seu quadro, ela foi transferida para o Hospital Geral do Estado (HGE) por cinco dias. Depois, ela foi levada para uma unidade de saúde particular da capital, onde teve seu atestado de óbito confirmado no último domingo (12).

Após a confirmação de sua morte pelo hospital particular, a família de Débora realizou um funeral, mas a mãe e seus irmãos desconfiaram de que a jovem não estivesse morta. O caso dela ganhou grande repercussão após seus familiares não aceitarem sepultá-la após ter suspeitas de que a menina poderia estar viva, já que seu corpo não apresentava rigidez, não exalava mau cheiro e nem entrou em estado de decomposição após dois dias do laudo de sua morte.

Nesta terça-feira (14), a mãe de Débora, Tereza Cristina, exigiu um exame de necropsia na menina para ter a certeza de sua morte, que foi confirmada pelo Instituto Médico Legal (IML) na tarde de ontem.

A família segue na expectativa para o laudo do exame de necropsia para saber qual a data exata da morte de Débora. O resultado deve sair dentro dos próximos dez dias, segundo o IML.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *