Alagoas já notificou, no primeiro semestre deste ano, 56 casos de hepatite. Os dados são da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), que registrou 37 do tipo B e 19 do tipo C, considerada mais grave.

No ano passado, também no primeiro semestre, foram 92 do tipo B e 54 da C, ainda de acordo com a Sesau.

Segundo o Ministério da Saúde, as hepatites A, B e C são inflamações no fígado causadas por diferentes tipos de vírus, constituindo um grave problema de saúde pública no mundo. Milhões de pessoas no Brasil podem, inclusive, ser portadoras do vírus e não saber.

Os tipos B e C podem causar doenças graves, como cirrose e câncer, e todos os tipos de hepatite podem levar à morte.

E para lembrar o Dia Mundial de Luta contra as Hepatites virais, celebrado neste sábado (28), os órgãos de saúde irão promover, nesta sexta-feira (27), na Universidade Tiradentes (Unit), em Cruz das Almas, o Seminário Alagoano sobre Hepatites Virais. Além de focar na prevenção, diagnóstico e tratamento, o evento irá apresentar um panorama da doença em Alagoas,

A vacina contra o vírus A está disponível pelo SUS desde 2014, em especial para crianças de 1 a 2 anos de idade. Já a vacinação contra a hepatite B consta no calendário de vacinação da criança, do adolescente e do adulto, estando disponível nos serviços de saúde para administração.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *