Ação de saúde monitora qualidade da água distribuída em Palmeira

| Redação Rádio Sampaio


Medida foi adotada após o registro de 260 casos de diarreia.
Laboratório Móvel vai percorrer locais de difícil acesso na zona rural.

Laboratório móvel (foto: divulgação/facebook)

Uma ação de saúde promovida pelo governo do estado, município e a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) vai monitorar a qualidade da água distribuída em Palmeira dos Índios. A medida, que contará com uma Unidade Móvel de Controle de Qualidade da Água, foi tomada após 260 casos de diarreia serem registrados no mês de janeiro deste ano.

Na ocasião, que contou também com técnicos da Defesa Civil Estadual, ficou definido ainda que será realizado um trabalho de higienização em cisternas para assegurar uma melhoria da água consumida pela população.

Na ação, a secretaria municipal de Saúde, com a Defesa Civil, vai fazer a distribuição de 16 mil pastilhas de cloro.

Segundo o Major Moisés, coordenador estadual da Defesa Civil, a pior situação encontrada foi no povoado de Coruripe da Cal. “Esta comunidade foi a que apresentou maior índice de diarreia. Vamos fazer a distribuição de hipoclorito e vamos orientar a população a fazer o uso correto da água que se encontra nas cisternas e também em todas as residências”, informou o coordenador.

Surto
Apenas no mês de janeiro, 260 pessoas buscaram atendimento médico com sintomas de diarreia. A secretaria de Saúde de Palmeira dos Índios deflagrou uma série de ações para tentar conter os casos da doença.

A suspeita da secretaria é que o surto de diarreia seja provocado pelo consumo de água contaminada, já que devido ao longo período de estiagem os moradores estão recorrendo a diversas fontes de água.

O município até tem recebido água potável de caminhões-pipa, mas o sistema de rodízio deixa alguns bairros até 10 dias sem abastecimento. Por isso, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh) decidiu cavar 15 poços no município.

Seca
A seca em Alagoas atinge mais de 40 municípios. Todos já decretaram situação de emergência. O último deles foi Taquarana. O decreto emergencial tem validade de 180 dias e deve facilitar nas ações para amenizar os prejuízos causados pela longa estiagem.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

%d blogueiros gostam disto: